Adeus, GUAJA velho...

Amigos, vamos celebrar.

É certo que 2016 não poupou ninguém, mas também é verdade que nós nunca crescemos tanto quanto nos últimos meses. Mesmo em condições adversas, aprendemos a florescer e colorir até os dias mais cinzentos. O sabor que fica é doce.

O GUAJA é uma plataforma de tantas possibilidades que muitas vezes nós mesmos não conseguimos prever todos os caminhos e desvios. Perdi a conta de quantas pessoas inspiradoras passaram por aqui, de quantos encontros fortuitos aconteceram debaixo de nosso teto ou de nossas árvores. É muito gratificante olhar para trás e perceber que temos conseguido seguir nosso propósito desde o princípio: reinventar o coworking para que você possa ir ainda mais longe.

No rumo do recomeço, dizemos adeus ao espaço onde tudo começou mais de três anos atrás, o GUAJA Centro, na Rua dos Guajajaras. Inspirados pela Comunidade Criativa que topou sonhar junto com a gente, estamos preparando novidades incríveis para as próximas estações.

Como alguém que idealizou e viveu o primeiro Café-Coworking do Brasil, preciso te agradecer pelos muitos frutos que colhemos este ano. Você faz parte dessa história e eu não posso deixar isso passar em branco. Aliás, branco tá meio batido, né? A cor da virada é rosa-guaja.

Um abraço e obrigado por tudo,

Lucas Durães
CEO e Founder do GUAJA


Um natal sem clichês.

Sai ano, entra ano e as mensagens de Natal continuam com a mesma cara. Um Papai Noel com a mesma roupa. A mesma neve de mentirinha, embora seja verão e o sol esteja brilhando com toda força no céu de BH. A mesma piadinha do pavê. A mesma música chata da Simone te perguntando o que você fez.

Simone, a gente fez o primeiro Café-Coworking do Brasil.

Demos 432 horas de cursos.

Recebemos 3.014 coworkers.

Vendemos 11.641 burgers no bar do Convés.

Mas o que a gente mais fez foi criar conexões entre as pessoas maravilhosas que fazem parte da nossa comunidade criativa. Não tem presente nem árvore de Natal que se compare à alegria de ter a nossa casa cheia de gente que acredita no futuro.

E por falar em futuro, um brinde ao tempo que ainda vamos compartilhar em 2017. Pra quem esteve com a gente, nossos desejos mais ousados de um Natal tropical, bem brasileiro, sem clichês, que nem o GUAJA mesmo.