LABORATÓRIO EFÊMERO — fabricação digital

Projete, produza e leve para casa a sua criação após a CASACOR Minas!

TURMA 1

10, 11, 12 de julho

segunda, terça e quarta

09h — 13h

horário

6 × R$ 92.08

primeiro lote
(com juros)

Limpar
ao me inscrever, confirmo que tenho mais de 18 anos de idade.

TURMA 2

13, 14, 15 de julho

quinta, sexta e sábado

09h — 13h

horário

6 × R$ 92.08

primeiro lote
(com juros)

Limpar
ao me inscrever, confirmo que tenho mais de 18 anos de idade.

GUAJA SAPUCAÍ

Rua Sapucaí 383

12h

carga horária

20 participantes

máximo


Esgotaram as vagas ou não vai poder participar desta vez? Inscreva-se em nossa lista de espera e vamos entrar em contato assim que novas turmas forem lançadas!

GUAJA Sapucaí: seja um dos autores deste projeto

A CASACOR Minas 2017

Em 2017, a CASACOR Minas volta à área central de Belo Horizonte para uma de suas maiores edições desde que chegou à cidade, há 23 anos. Maior mostra de arquitetura, design de interiores e paisagismo das Américas, a CASACOR reúne renomados profissionais todos os anos. Segue antenada aos movimentos urbanos contemporâneos e propõe um novo olhar sobre a cidade e sobre a forma como ela vem sendo percebida e experienciada por seus moradores.

Este ano, a mostra recebe o tema “Essencial” e acontecerá entre os dias 12 de agosto e 17 de setembro. Ocupará um importante edifício integrante do Conjunto Arquitetônico da Praça da Estação, região marcada pela forte efervescência urbana, cultural, política e gastronômica da cidade. O local funcionou como sede da extinta Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e está diretamente associado à criação de Belo Horizonte. Nos últimos anos, o edifício vem passando por um processo de restauração, sob a supervisão do IPHAN, para abrigar futuramente as instalações do Museu Ferroviário.

O GUAJA Sapucaí

A CASACOR convidou o GUAJA para ocupar um grande galpão de 420m² localizados no último andar do edifício. A esse espaço temporário demos o nome de GUAJA Sapucaí.

Além de abrigar a programação cultural da casa, o GUAJA Sapucaí será também um espaço de trabalho e experiências colaborativas. A curadoria da programação, que envolve uma série de eventos voltados para as áreas de arquitetura, design e criatividade, também ficará por conta do GUAJA. Para a concepção do espaço, os arquitetos Lucas Durães e Sarah Kubitschek, convidaram outros três profissionais: Gabriel Nardelli, Marcos Franchini e Pedro Haruf.

O Processo de Arquitetura

Definitivamente há um futuro baseado no compartilhamento, e nós do GUAJA acreditamos que o essencial nessa nova era é conectar pessoas e criar mecanismos para formar comunidades.

Ao subir para o ultimo andar do edifício da Rua Sapucaí, o visitante-espectador deixará seu posto de passivo para se transformar em participante ativo. Os arquitetos do GUAJA Sapucaí redimensionam seu protagonismo e passam a motivadores de construções processuais e coletivas. Os espectadores — habituados a se satisfazerem com experiências críticas e estéticas próprias de uma plateia — são convidados a intervir, exercitando a imaginação, ampliando a consciência, liberando seus fantasmas, renovando suas sensibilidades, vivenciando experiências físicas, fazendo-se artistas também.

O campo de ação não é mais a exposição, mas ações subjetivas e coletivas que ensaiam vivências sociais. Aqui, o tempo deixa de concordar com a permanência e se relaciona com a efemeridade. Em eterna mudança por intervenções constantes de autores que não cansam de chegar. Um modelo mais radical que torna forma: mais experimental numa arquitetura menos determinante que oferece maior conexão social através de uma programação cultural que fecunda o cotidiano da cidade.

Ao invés de um projeto de arquitetura, os arquitetos do GUAJA imaginaram um processo não-determinista que busca diluir a autoria da concepção do espaço com mais 100 profissionais e estudantes dos campos de arquitetura e design.

Assim, o GUAJA Sapucaí será um verdadeiro laboratório efêmero que reunirá todas as condições para que os processos de discussão e construção do espaço possam acontecer em sua integralidade.

O Laboratório Efêmero

Além de participarem do processo de concepção do espaço, os participantes também fabricarão todos os elementos necessários à ocupação do GUAJA Sapucaí. Em parceria com a Fábrica Jangada, vamos manter uma máquina de corte CNC (computer numerical control) durante todo o período de funcionamento da CASACOR, transformando nosso espaço em um makerspace.

Antes da inauguração da CASACOR, promoveremos 5 workshops de fabricação digital comandados por Denis Fuzii, Rafael Cordeiro e pelos arquitetos do GUAJA.

O workshop

Na era do compartilhamento de informações e da chegada da fabricação digital, surge um movimento gigantesco capaz de transformar o modo de produção, descentralizando-o das grandes indústrias. O MOVIMENTO MAKER ultrapassa fronteiras, cria um novo modelo de cadeias produtivas e interações comerciais, gerando empregos e aquecendo a economia local.
Sem impostos de importação e exportação, sem transporte marítimo ou aéreo, sem fretes de longas distância, o movimento aquece a economia local e torna o mercado de mobiliário mais acessível a todos.

No workshop você vai viver 3 dias de muita mão na massa, projetando e desenvolvendo uma peça de mobiliário para ser cortada na CNC Router. No fim da mostra, você a leva para casa!

Aula 1
Ultrapassando Fronteiras

Iniciaremos com uma breve introdução ao Movimento Maker. Quais são as novas formas de trabalho, comunicação e comportamento no mundo da arquitetura e design? Falaremos sobre encaixes, novas tecnologias de corte e reprodução 3D. Cases como Opendesk, Studio DLux, Mono e 3DHUB, além do funcionamento de uma CNC Router e como nos comunicamos com ela.

Aula 2
Hands on — Projeto

É hoje que começa a diversão! Aqui vocês aprenderão na prática sobre sistemas de fixação, cortes, tipos de materiais, fresas, espessuras.
Vamos fazer um brainstorm usando o raciocínio criativo no processo de projeção de um móvel. O projeto e desenvolvimento do objeto é conduzido por Denis Fuzii. Cada participante terá uma chapa de compensado de 90×120cm para soltar a criatividade!

Aula 3
Hands on — Execução

É aqui que acontece a mágica da fabricação digital. A partir do arquivo gerado no dia anterior, a CNC Router vai cortar a chapa e transforma-la no móvel. Não é demais? Seguimos acompanhando e finalizando os arquivos de cada participante. Depois dos arquivos finalizados, cada participante agendará um horário para o corte do seu mobiliário diretamente com o maker local. Todo o material e as horas da CNC estão incluídos no valor do workshop!

Conheça os
professores

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Mídias Sociais para Produtores Locais

17 e 18 de junho

sab e dom

10h — 17h

horário


GUAJA

Afonso Pena 2881

12h

carga horária

24 participantes

máximo


R$ 360,00 R$ 400,00

Em estoque

Inscreva-se >>

Esgotaram as vagas ou não vai poder participar desta vez? Inscreva-se em nossa lista de espera e vamos entrar em contato assim que novas turmas forem lançadas!

Se você sempre quis aprender na prática como fazer as mídias sociais da sua pequena empresa, esse é o curso para você. Os alunos do curso de Marketing Digital para Produtores Locais pediram e a gente atendeu: um curso mais aprofundado em práticas para conteúdo orgânico, anúncios e ferramentas em mídias sociais.

Uma imersão em dois dias (12 horas) para aprender na prática a fazer:

  • Posts com imagens e vídeos no Facebook e Instagram
  • Usar recursos das ferramentas disponíveis para alimentar as mídias sociais sem sofrimento
  • Escrever anúncios objetivos e interessantes para Facebook e Instagram
  • Tática de impulsionar posts: quando e como fazer?
  • Anúncios com Testes A/B – Como fazer
  • Calendário de publicações: o que programar e o que postar manualmente
  • Quais tipos de anúncio funcionam melhor para seu negócio
  • Ouvindo seu público através das ferramentas: Insights
  • Hashtags para Instagram

Pré-requisito

Participação no curso de Marketing Digital para Produtores Locais OU prática com administração de perfis de negócio no Facebook e Instagram. Antes da imersão serão solicitadas algumas tarefas para otimizar o tempo do curso para prática.

Ao final do fim-de-semana você já sairá com posts prontos para publicação e tendo utilizado ferramentas que vão facilitar seu dia-a-dia de alimentação das suas mídias sociais.

Gostou? Veja o que os participantes do curso de Marketing Digital para Produtores Locais dizem:

Depoimentos

Por que fazer esse curso e não outro?

  • Você pode aprender tudo isso sozinho, com cursos na internet ou com outros cursos até mais baratos. Mas esse é um hackaton/consultoria: você vai usar as páginas da sua empresa, caso real, fazendo na hora, com a ajuda de um especialista.
  • Menos teoria, mas prática: mídias sociais não têm fórmula pronta, aprender na prática com direcionamento de especialistas vai te ajudar a ter disciplina para fazer o trabalho e saber como fazer.
  • Conta com a experiência de quem já trabalha com mídias sociais para marcas desde 2011 (quando chegamos na internet, tudo era mato).
  • Focado em microempreendedores, sabemos o quanto a vida de um dono de pequeno negócio é difícil. Focamos em resultados e otimização de recursos (tempo e dinheiro).

E quem vai me ensinar isso tudo?

Ana Paula Coelho, do Ainda que Tardia

Sou a Ana Paula Coelho, graduada em Publicidade e Propaganda e tenho um MBA em Gestão Empreendedora em Marketing Digital. Tenho 13 anos de experiência em T.I e comunicação, e ensinei Marketing Digital durante dois anos na PUC Minas. No úlltimo ano me dediquei a hackear meu próprio aprendizado através de um ano sabático de viagens, em que passei nove meses na Tailândia aprendendo yoga e trabalhando no marketing da escola, que tem toda sua estratégia de comunicação pautada em Growth Hacking – como criar mais exposição com menos dinheiro.

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Coolhunting

26 a 30 de junho

seg à sex

19h30 — 22h30

horário


1 de julho

sab

10h — 17h

horário

coffeebreak :)


GUAJA

Afonso Pena 2881

22h

carga horária

24 participantes

máximo


Limpar

Detectar tendências é divertido. Nos faz sentir ~antenados~, ~descolados~, ~insiders~. Mas, sozinho, não é capaz de trazer mais sucesso para uma empresa. Pesquisa de tendências é uma maneira (dentre muitas outras!) de encontrar inspiração, ajudando a pensar novos produtos, serviços e experiências. O grande objetivo de observar tendências é guiar o processo de inovação.

O curso, composto por 6 encontros, reune conteúdo teórico, atividades práticas e experiências sensoriais. O objetivo é causar um despertar para o universo das tendências, fornecer as primeiras ferramentas para a pesquisa, e preparar o raciocínio para convertê-la em inovação.

Como?

  • Anatomia Cultural
  • Zeitgeist
  • Mindset
  • Consumer tribes
  • Ferramentas de pesquisa
  • Etnografia
  • Imersão urbana
  • Net hunting
  • Macro trends
  • Consumer trends
  • Industry trends
  • Construção de relatórios
  • Planejamento de cenários futuros

Para quem?

Primeiramente a todas as pessoas interessadas em entender o que é coolhunting, o universo das tendências e o comportamento do consumidor. Em seguida, publicitários, marqueteiros, profissionais da área de produto, moda, criação e, principalmente, planejamento que buscam novas ferramentas para guiar o processo criativo. Pessoas interessadas em mudar de carreira, ou estudantes querendo iniciar uma e que precisam entender como atua um coolhunter e como é o seu dia a dia.

Quem vai ministrar essa experiência?

Tiago Gamaliel

Tiago Gamaliel é mineiro de Belo Horizonte e reside em São Paulo. Com formação em Design pela UEMG e especialista em Coolhunting pela Elisava, está há mais de dez anos no mercado desenvolvendo projetos para moda, cultura, economia criativa e novos modelos de negócio.
Desenvolveu projetos para Telefonica (Espanha), KWS (Alemanha), Guaja, Manoel Bernardes, Mostra de Cinema de Tiradentes, Fundação Clóvis Salgado, Hometeka/Bimbon.
www.tiagogamaliel.com.br

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Urbanismo Merlotdramático

7 de junho

quarta-feira

19h30 — 21h30

horário


Massa e Vinho incluídos!


GUAJA

Afonso Pena 2881

40 participantes

máximo


Limpar
Inscreva-se >>

Urbanismo Merlotdramático é uma série de encontros mensais para se discutir urbanismo comendo e bebendo. Na primeira edição, vamos conversar sobre os movimentos artísticos que se apropriam do espaço urbano e sobre como caminhar é ocupá-lo com o corpo. Um evento delicioso para interessadas em pensar a cidade entre uma taça de vinho e outra.

Caminhar pela cidade: cotidiano, vanguardas e espetáculo

 Na modernidade, caminhar significa enfrentar muitos medos: medo de estar na cidade, medo de infringir normas ao usar o espaço público, medo atravessar fronteiras e territórios desconhecidos, medo do encontro com o outro e da ameaça que ele parece ser a nossa segurança.
 
Caminhar pela cidade dá medo, logo, não se caminha mais. Daí a questão apocalíptica: como serão as cidades produzidas por pessoas que têm medo da rua? Nota-se que nas Escolas de Arquitetura entende-se tudo sobre teoria e sociologia urbana, formam-se especialistas em cidades sem, no entanto, que essas pessoas vivam a experiência de ocupá-la no dia-a-dia.
 
Torna-se indispensável entender onde começaram os movimentos artísticos que decidiram colocar seus corpos no espaço de maneira crítica. Então, vamos discutir o conceito de cotidiano na tentativa de compreender o porquê dessa dimensão da realidade ser significativa para a apropriação política e para a potencialização da experiência estética no contexto da cidade e também para percebermos o isolamento e a alienação como parte de uma estratégia de controle sobre os corpos em uma sociedade orientada pelo consumo.
 
O cotidiano é condição para a experiência vivida em nível ordinário. Vamos discutir alguns elementos encontrados na obra de autores críticos à alienação, condição típica da modernidade, vista através da vida diária. O objetivo é investigar argumentos teóricos relacionados a experiências cotidianas que inspiraram movimentos culturais e artísticos que se posicionam contra a condição de alienação e racionalização da vida.
 
O espaço serviu de estímulo para as deambulações surrealistas, caminhadas sem percurso ou objetivo determinado realizadas em lugares desabitados localizados nas periferias de cidades francesas. Essa prática associa a experimentação espacial dos limites físicos das cidades à exploração das fronteiras mentais do inconsciente. A partir do caminhar surrealista, aberto ao encontro do inesperado, entendeu-se a importância de realizar a ação estética sobre o espaço cotidiano.
 
Para os surrealistas, o interesse de realizar esse caminhar errante surgiu de uma excursão dadaísta que havia acontecido em 1921, que teve como intuito superar o niilismo e a exaltação da banalidade defendido pelo Dadá. O encontro dadaísta em Saint-Julien-le-Pauvre é significativo pois iniciou a prática do passeio sem rumo por lugares cotidianos e, a partir dele, entendeu-se a importância de realizar a ação estética sobre o espaço cotidiano em vez de insistir na tentativa de representá-la por outros meios e suportes artísticos.
 
Décadas depois, na Europa, os jovens da Internacional Situacionista se organizavam em derivas urbanas que pretendiam a apropriação do corpo e da cidade por meio de caminhadas que atravessavam fronteiras de bairros e de pensamento. O grupo propunha jogos coletivos a serem vividos na cidade, trazendo o desafio de contestar as regras políticas e sociais para a escala urbana.
 
Guy Debord, um dos líderes do movimento Internacional Situacionista, desenvolve então o conceito de Sociedade do Espetáculo, em que os indivíduos em condição alienada agem mais como espectadores do que como atores na própria vida. É fundamental perceber o divertimento e o consumo como condição essencial do espetáculo e a consequência disso no modo de perceber a cidade, sempre mediada por imagens e pelo consumo de mercadorias. Sob esse aspecto, os indivíduos contemplam imagens em detrimento da experimentação sensorial dos acontecimentos da vida. Assim, se no primeiro estágio da evolução histórica da alienação o ter passou a ser mais importante do que o ser, na contemporaneidade o parecer ter se torna a essência das relações sociais.
 
Ao discutir o avanço histórico da importância de caminhar pela cidade, vamos ampliar a conversa para nossa vivência atual, permeada de aparelhos e redes sociais digitais, para colocar em evidência a necessidade de despertar dessa hipnose alienadora, que direciona a nossa atenção para o consumo em detrimento da experiência plena da cidade. Ao criticar as estratégias arquitetônicas e urbanísticas que reproduzem as relações de controle e de isolamento e que enxergam a cidade como a justaposição de lugares para o consumo, é essencial passar a percebê-la como lugar antagônico ao isolamento. A cidade permite o encontro entre as pessoas e, ao ocupá-la com o corpo e caminhar por suas ruas, nos colocamos política e esteticamente contra a rotina de alienação difundida pelo espetáculo.

Quem vai conduzir essa experiência?

Laura Castro

Mestre em Arquitetura e Urbanismo, atua como professora do Departamento de Análise Crítica e Histórica da Arte, da Arquitetura e da Cidade da Escola de Arquitetura, Urbanismo e Design da UFMG.

 

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Mídias digitais e comunicadores: como sobreviver na comunicação contemporânea

07 de Julho

sexta-feira

a primeira rodada de cervejas é por nossa conta!

19h30 — 21h30

horário


GUAJA

Afonso Pena 2881

40 participantes

máximo


R$ 50,00

Em estoque

Objetivo

Em uma sessão descontraída, o workshop oferece aos profissionais de comunicação um panorama das oportunidades e desafios do mercado com o crescimento do digital, assim como discute as novas ferramentas de trabalho.

Público-alvo

A sessão trará um panorama dos desafios atuais dos profissionais de comunicação seguido de uma visão de oportunidades e um compilado de dicas para jornalistas, relações públicas, comunicólogos e profissionais que lidam com a comunicação de forma geral. Tópicos a serem tratados:

Mudança: era da informação > era da inovação;
Prosumers: produtores e consumidores de conteúdo;
Novas plataformas da era do relacionamento e diálogo;
Comunicador 3.0: características de um profissional diferenciado;
Minha redação encolheu, e agora? – Oportunidades para jornalistas;
Importância da qualificação constante e uso das mídias e plataformas digitais;
Influenciadores, blogueiros, youtubers e instagramers: aliados ou rivais?
Ferramentas úteis para profissionais de comunicação;
Cases e inspirações para seu próximo trabalho.

Facilitador | Kleber Pinto

Jornalista pela PUC-SP, Master em Jornalismo Digital pela Universidade de Navarra, na Espanha, especialista em Gestão Integrada da Comunicação Digital para Ambientes Corporativos pela ECA-USP, e Mestrando em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP. Professor convidado de Gestão de Conteúdo para Projetos Digitais na FAAP-SP. Experiência em projetos multimídia, curadoria de conteúdo, inbound marketing e mídias sociais. Histórico de palestras já ministradas: SENAC-SP, Unicesumar – PR, FGV – RJ, FGV – SP, UNOPAR – PR, Faculdade Pitágoras João Pessoa, YCON Formação Continuada – SP, Universidade Braz Cubas – SP.

Informações Adicionais

Conexão wi-fi, welcome coffee, coffee break.
Espaço para networking
Workshop com certificado

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Escreva-se: o despertar da escrita pelo sentimento

03 de junho

sáb

10h — 17h

horário

Brunch incluído!


GUAJA

Afonso Pena 2881

6h

carga horária

10 participantes

máximo


R$ 235,00

Fora de estoque

Esgotaram as vagas ou não vai poder participar desta vez? Inscreva-se em nossa lista de espera e vamos entrar em contato assim que novas turmas forem lançadas!

O medo da página em branco é comum até para os mais íntimos da escrita. Como acabar com esse medo de vez? Você não precisa fazer a oficina para ter essa resposta. Ela é uma só: nunca. O medo do texto é um companheiro fiel, isso porque você jamais será o mesmo depois do ponto final. A escrita é um processo de transformação constante, um instrumento de escuta de si e um encontro com o outro. Se esse medo continua, por que fazer uma oficina? Escrever é despertar a criatividade, os sentimentos e os novos olhares sobre o mundo. Desperte-se.

Viva uma experiência de escrita criativa

A partir das próprias experiências, a proposta é mostrar com as letras podem ser acolhedoras, e como a criatividade exige o sentimento antes mesmo da ideia. Com muita mão na massa, trocas e prosas, a oficina é dividida em quatro momentos.

Você terá como companhia o Guia do Texto Malcriado e o tempo como cenário. Passeando pelo passado (A Memória), presente (Os Sentidos) e futuro (O Outro), o programa pretende desprogramar padrões e deixar o medo da página em branco manso como um bom amigo. Ao todo, serão seis (!) horas de exercícios e trocas. Prepare-se para escrever muito e encarar o texto de uma forma diferente.

Desprograme-se 

Do haicai à carta, do conto à lista, as atividades vão passear pelos gêneros e pelos sentidos.

  • Olá, tudo bem? – Atividades para expulsar a timidez do papel e a coisa toda ficar bem sem vergonha.
  • Os Sentidos – Os sabores, cores, cheiros, texturas e os sons impõem o agora. Os exercícios vão nos guiar para encarar o presente e quais os sentimentos nos aguardam.
  • A Memória – Escrever é matar a saudade e, para isso, é preciso mergulhar no próprio tempo. Algumas atividades serão o mapa que nos levarão para o nosso passado e o passado do outro.
  • O Outro – O futuro é tão estranho quanto um desconhecido no banco de ônibus. Escrever exige empatia. Alguns exercícios vão nos fazer vestir a pele de outra pessoa.

Esse curso é pra mim? 

Se você quer escrever mais, quer fazer do texto um ponto de apoio ou, simplesmente, quer exercitar a criatividade, troque a interrogação por um ponto final. É pra você sim.

Quem já fez?

“Muito além do texto e da escrita, este curso mexe na alma da gente. Quando me inscrevi, sabia que seria ótimo como tudo que a Luana faz, mas realmente superou minhas expectativas e foi emocionante. As palavras têm mais poder do que imaginamos. Elas libertam. Se você quer viver esta experiência, se joga sem medo.”
— 
Lívia Murta, Gerente de Projetos na Plan B Comunicação  

“Um exercício para deixar fluir a criatividade. Com simplicidade e bom humor, o objetivo do curso é alcançado e a visão, antes míope de escrever, se torna clara e objetiva, com vários momentos de autoconhecimento e emoção.”
— Marco Vincit, designer na Work & Co

“Inspiradora e reveladora. A oficina Escreva-se nos convida a abrir os olhos à nossa criatividade, às ideias que ignoramos em nós e à delícia da escrita. Uma experiência linda!”
— Marina Dias, arteterapeuta no Centro da Consciência: Escola de autoconhecimento

“Apesar de ser formado em comunicação, romper a barreira do papel branco sempre foi um grande desafio. Quando fiz o Escreva-se, parece que consegui ligar uma chave no meu cérebro que me permitiu passar por cima desse bloqueio e escrever com mais leveza. Eu realmente recomendo para quem gosta de ler e escrever, mas que, por algum motivo, se sente limitado.”
— João Marcelo Siqueira, Gerente de Customer Sucess na Stilingue

Objetivo

Praticar a escrita de forma confortável e trabalhar a criatividade a partir do texto.

Oba! E quem vai me ensinar isso tudo?

Luana Simonini, redatora publicitária há mais de 10 anos, formada em Publicidade pelo Unibh e em Letras pela UFMG. Já trabalhei para grandes marcas, como Petrobrás, Direcional Engenharia, Grupo Fiat, Seculus, Itambé. Já perdi o tesão pelo texto e retomei o fôlego, já fiz curso de storytelling pela ESPM, já fiz teatro pelo Galpão Cine Horto, já publiquei um livro, o Controverso – Histórias que Beliscam pela Crivo Editorial, e tenho tantas outras vírgulas que deixariam essa mini-bio bem chata. O que você precisa saber é que não vou ensinar nada, nem facilitar as coisas, e, sim, aprender e sentir junto com você. Vamos?

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Branding: da estratégia ao mercado

23 de junho

sexta-feira

19h30 — 22h30

horário


24 e 25 de junho

sab e dom

10h - 19h30

horário


GUAJA

Afonso Pena 2881

19h

carga horária

24 participantes

máximo


Limpar

o computador é fornecido pelo aluno individualmente!

Branding não se trata da pura construção de um logo, de um site, de uma identidade. Trata-se da gestão dos valores de uma marca; um processo complexo de pesquisa, análises, diagnósticos e planejamento de um conjunto de ações estratégicas que quando aplicadas de forma eficiente, contribuem para a construção da percepção de um negócio, produto ou serviço, quanto a sua entrega de valores, conforme perfil ou perfis de consumidores a serem atingidos, de modo que eles compreendam corretamente a mensagem que o emissor está transmitindo.
O design e a comunicação são os responsáveis pela entrega correta desta mensagem, alinhada estrategicamente no Plano de Branding conforme objetivos de alcance de público e entrega de valor ao mercado. O posicionamento correto, aliado a estratégias eficientes levam ao crescimento do negócio.
É comum as empresas pensarem estar transmitindo uma mensagem e na realidade o público envolvido com a marca (stakeholders) estar percebendo de modo totalmente diferente do previsto. Todo este processo visa aumentar o brand equity, aumentando assim a importância da empresa no mercado, o valor da Instituição em si.

A dinâmica

O curso visa apresentar de modo criativo e de fácil compreensão o processo do Branding, desde seus fundamentos básicos até o entendimento sobre os processos de pesquisas, metodologias e construção estratégica de uma marca.
O programa é dividido em 4 módulos de 3 horas e meia de curso + 5 horas de um workshop no sábado, totalizando 19 horas de conteúdo transformador e relevante.

Conteúdo – o curso  

Os conhecimentos envolvem todo o processo introdutório de branding, desde a descoberta do que é uma marca, do que se trata o processo, até o aprofundamento por meio de detalhamento em questões como:

  • Entendendo o mundo lógico do Branding;
  • O que é uma marca;
  • O que é uma Identidade Visual;
  • Introdução à Semiótica;
  • Sistemas de Identidade Visual – o que significa;
  • Metodologias: Design Thinking entre outras;
  • Arquétipos – o que são, para que servem;
  • Posicionamento de mercado;
  • Posicionamento de uma marca;
  • Análises de posicionamento;
  • Análises de Mercado: personas, stakeholders, concorrentes;
  • Análises de perfis de comportamento direcionado conforme objetivos;
  • Análises Culturais: regiões de atuação da marca, comportamentos, semiótica conforme perfil de público;
  • A marca como entidade viva dentro das organizações;
  • Os colaboradores como representação da marca;
  • A importância do DNA na cultura organizacional;
  • Entendendo o mercado, criando uma marca de sucesso;
  • Introdução à plataforma de marca, mapas conceituais;
  • Design Estratégico;
  • Relação do Branding com o Marketing e a Publicidade;
  • Vendendo valor ao invés de produto: resultados de sucesso;

Workshop – do briefing à estratégia

Serão em média 4 grupos com 6 pessoas cada.
A atividade visa fazer com que os participantes assimilem ainda mais seus novos conhecimentos, entendendo na simulação o raciocínio lógico que envolve o Branding. A atividade ocorrerá em 3 etapas, dentro do período de 5 horas, sendo aplicada da seguinte forma – cliente fictício:

Etapa 1: Hora do Briefing! Entendendo o cliente e o mercado (fictício).

Etapa 2: Utilizando o Design Thinking para construção de uma plataforma de marca.

Etapa 3: Criando soluções estratégicas para a marca – linha estratégica de atuação.

O que vou levar dessa experiência?

  • Melhor entendimento do funcionamento estratégico das marcas no mercado;

  • Sob o raciocínio do branding, saber como pensar soluções que trarão resultados reais para seu negócio;

  • Super entendimento do raciocínio lógico que envolve a construção e gestão estratégica de marcas;

Público Alvo

Profissionais de design, marketing, publicidade e comunicação;
Empreendedores, empresários, gerentes;
Estudantes em nível mais avançado nos cursos de Publicidade, Design, Comunicação Social, Relações Públicas e outros que tenham interesse no tema.

Quem vai ministrar essa experiência?

Hanna Castor

Com experiência nas áreas de Branding, Design e Comunicação, fundou a Agência ETA em 2012, atuando como Diretora Geral, Diretora de Arte, Diretora de Criação, Diretora de Planejamento em projetos de Gestão Estratégica de Marcas (Branding), Estratégia, Consultorias, Design, Publicidade, Comunicação, para plataformas On e Off, gerenciando e executando processos com equipes multidisciplinares escolhidas a dedo para desenvolverem os mais diversos projetos, de complexidades variadas, gerando resultados reais para meus clientes. 

Para desenvolvimento do trabalho utiliza metodologias como PDCA, Design Thinking, análise SWOT, CANVAS, Golden Circle, produzindo mapas estratégicos, conceituais, plataformas de marca, entre outros. Utilizando como referência estas matrizes, constrói bases próprias de raciocínio lógico/criativo para desenvolvimento e execução dos seus projetos. Fez entrevistas para fins de seleção de profissionais, para setores comerciais e de marketing para vários dos seus clientes, ministrou treinamentos, workshops e palestras cujos temas variaram entre Comunicação Interna, Design Thinking, Branding, Motivação, Atendimento de Qualidade e Vendas. Hoje atende por meio de consultoria individual, parcerias e pela Agência ETA, clientes regionais, nacionais e internacionais.

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Da ideia ao protótipo: Criando soluções inovadoras com Design Thinking

13, 20 e 27 de maio

sábados

9h — 18h

horário

café da manhã
e coffeebreak :)


GUAJA

Afonso Pena 2881

24h

carga horária

24 participantes

máximo


R$ 900

primeiro lote (14 primeiros inscritos)

R$ 990

segundo lote

Inscreva-se >>

descontos para grupos

10% - 2 pessoas
15% - 3 pessoas
20% - 4 ou mais pessoas

Quais são os desafios para pessoas e organizações nos dias de hoje? Como abordá-los de forma inovadora, envolvendo mais pessoas na criação de novos negócios, projetos, produtos e serviços? Muito se fala sobre Design Thinking, mas chegou a hora de explorar todas as possibilidades dessa metodologia inovadora para solucionar questões num ambiente dinâmico, de incerteza e competitividade. 

Esta é uma imersão para entender e experimentar os fundamentos, o processo criativo e as principais ferramentas do Design Thinking, aliando teoria e a prática em situações e negócios reais. O Design Thinking propõe uma compreensão ampla, centrada nas pessoas e suas necessidades, de forma integrada.

Visão geral da experiência

Acreditamos na aprendizagem pela prática em desafios reais. Por isso, trabalharemos em grupos, com ideias de negócio e projetos propostos pelos participantes. Todos vivenciarão o processo de modelagem das soluções e poderão, ao final, aplicá-las em suas necessidades próprias.

O programa é dividido em 3 módulos de 8 horas, totalizando 24 horas de inspiração, troca, descoberta, mão na massa, transformação e resultado.

Conteúdo

1º Módulo – Conexão, empatia, entendimento e problem framing

Vamos nos conectar e provocar a interação entre os participantes do curso, passando por uma visão geral do conceito, valores e cada fase processo criativo proposto pelo Design Thinking. Veremos casos aplicados, exercícios, referências práticas e teóricas para um alinhamento de todos.

Formaremos os grupos para trabalhar mais a fundo as etapas iniciais de entendimento do problema, definição dos stakeholders, empatia, diferentes pontos de vista, problem framing and reframingDepois, vamos para a rua exercitar o olhar, entrevistar pessoas e sintetizar os insights colhidos.

Ao fim de cada módulo, poderemos identificar os principais aprendizados do dia, traduzir as experiências para os contextos de cada um, tirar dúvidas, pactuar exercícios e reflexões para o decorrer da semana.

2º Módulo – Colaboração e ideação

Cada módulo começa revisitando o trabalho do encontro anterior para colher os insights e resultados dos exercícios ao longo da semana. O 2º encontro mergulha nos conceitos de ideação e exercícios de criação colaborativa. É hora de promovermos divergências e convergências entre o grupo através de ferramentas para instigar a geração de ideias e todo o potencial criativo dos participantes.

Vamos exercitar a síntese e a combinação entre os insights, traçando caminhos prováveis e improváveis até chegar ao desenho de soluções inovadoras. Na sequência vamos estruturar essas soluções, desdobrando a sustentação das ideias, os diferenciais e a mecânica de funcionamento.

Encerraremos o dia traduzindo os aprendizados para a rotina de cada participante, além de pactuar alguns exercícios e reflexões para o decorrer da semana.

 Módulo – Validação, prototipagem, iteração e pitch

Vamos voltar mais uma vez à discussão a partir do ponto onde paramos para compartilhar os conceitos de prototipagem rápida, validação e iteração.

É a hora de colocar a mão na massa e construir protótipos para testar tudo o que produzimos até aqui. Após uma rodada de avaliações vamos priorizar ajustes a partir do feedback dos clientes, rever o ciclo de produção de forma ágil e preparar um pitch de apresentação dos resultados.

Por fim, faremos um resgate da nossa jornada mapeando gaps, oportunidades e como traduzir as lições aprendidas em nossas rotinas diárias. Além disso, vamos indicar caminhos, fontes e ferramentas para que cada um possa dar continuidade em seu ciclo de aprendizado.

Objetivo

Vivenciar a aplicação do Design Thinking no desenvolvimento de soluções, negócios, produtos e serviços.

Como a experiência vai mudar sua vida

Você irá aprender a utilizar o Design Thinking para:

  • Entender melhor os seus clientes;
  • Engajar mais pessoas no desenvolvimento de soluções;
  • Inovar seus modelos de negócio;
  • Resolver problemas complexos de maneira criativa e dinâmica;
  • Desenvolver suas habilidades de comunicação e apresentação;

Para quem é este curso?

  • Pessoas dispostas a assumir uma forma de pensar colaborativa, inovadora e centrada no ser humano;
  • Gestores, empreendedores e líderes que buscam um modelo mental mais empático e experimentalista para seus negócios;
  • Equipes que buscam um comportamento focado na experiência dos clientes;
  • Profissionais que precisam de ferramentas e metodologias para trabalhar na criação de solução em grupo, integrando áreas, diferentes bases de conhecimento e diversidade de opiniões;

Ferramentas Principais

  • Matriz CSD Alinhamento
  • Persona + entrevista
  • Mapa de Stakeholders
  • Mapa de Empatia
  • Value Proposition Canvas
  • Brainwritting
  • Concept Map
  • Business Model Canvas
  • Pitching Map
  • Matriz de priorização
  • Jornada da Experiência do Cliente (Simplificada)

Sobre o Design Thinkers Group

Através da cocriação, desenhamos soluções, serviços, estratégias e processos que ajudem as pessoas e organizações a inovar, projetar suas marcas e reforçar a capacidade de seus colaboradores. Geramos resultados de impacto, provocando mudanças de cultura e comportamento por meio do Design Thinking.

Estamos em 20 países e somos 57 pessoas trabalhando juntas. Somos uma comunidade internacional baseada em confiança, que troca conhecimento, experiências e boas histórias.

Quem vai ministrar essa experiência?

Eduardo Loureiro — Managing Partner

Managing Partner da DesignThinkers Group e da DesignThinkers Academy no Brasil. Tem 12 anos de experiência em pesquisa, prototipação, UI design, service design e modelagem de negócios.

É cofundador da Voël (Pesquisa e Design de Produtos Digitais), Mozaiko (Educação e Inovação Social) e Business Jam (Laboratório de Empreendedorismo). Professor da pós-graduação em Design de Interação, da pós-graduação em Comunicação Digital da PUC-Minas e facilitador no Mesha LAB, programa independente de inovação.

É pioneiro no estabelecimento das disciplinas de User Experience Design no Brasil e já trabalhou em projetos para grandes marcas/instituições/start-ups como Google, Fundação Dom Cabral, SEBRAE, Banco Itaú, Leucotron, Banco BMG, Coca-Cola, Localiza, FIEMG, Red Bull, UBM, Minutrade, Porto Seguro, Governo de Minas Gerais, Fundação Lemann, Ford, entre outras.

Paulo Emediato — Associate

Associado da DesignThinkers Group no Brasil. Apaixonado por inovação, estratégia e desenho de soluções, co-fundador do Mesha, acredita no potencial criativo e no pensamento crítico, com foco nas pessoas, para impactar os negócios e instituições de hoje.

Lidera a assessoria de comunicação da FUNDEP, professor, palestrante e facilitador de processos cocriativos.

Tem 15 anos de experiência em gestão de marketing, comunicação e inovação em diferentes setores como CNI, Governo de Minas, Oi e TokStok. Mestrando em Gestão da Inovação na UFMG, passou por formação executiva na Stanford School Of Business, é especializado em gestão na Fundação Dom Cabral e graduado em Comunicação Social pela PUC Minas.

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Vida Mindful em Oito Passos

aula gratuita!

palestra aberta

12 de Abril — 19h

quarta-feira


3, 10, 17, 24 e 31 de Maio
7 e 14 de Junho

quartas-feiras

19h30 — 21h30

horário

retiro urbano incluído!

4 de Junho

domingo

9h — 17h

horário


GUAJA

Afonso Pena 2881

21h

carga horária

15 participantes

máximo


R$ 890

primeiro lote (10 primeiros inscritos)

R$ 920

primeiro lote

Inscreva-se >>

Com o desenvolvimento exponencial da tecnologia, temos acesso a uma quantidade infinita de informações a um clique de distância, mas essa overdose de dados muitas vezes nos torna mais distraídos, ansiosos e com medo de não dar conta de tudo. Neste sentido, como podemos treinar nossa ‘tecnologia interna’ para funcionar da melhor forma possível?

Estudos contemporâneos trazidos para o SXSW 2017 listam a prática de Mindfulness como uma das 8 técnicas mais importantes para o aprimoramento de performances. A aplicação das práticas é um fenômeno nos Estados Unidos e Europa, assim como o boom de estudos científicos que buscam mensurar seus benefícios. Manejo da ansiedade, desenvolvimento de concentração e foco, aprimoramento das relações interpessoais, melhoria da qualidade de vida, do sono e da memória são alguns deles.

Também conhecido como consciência ou atenção plena, Mindfulness não é um conceito novo. Teve origem na tradição budista, há mais de 2.500 anos. Na década de 1970 foi estruturado nos Estados Unidos completamente desvinculado de qualquer contexto religioso ou cultural. É uma atitude de atenção à experiência presente, caracterizada por abertura e curiosidade.

Parece simples, não é? Mas colocar essa atitude em prática não acontece em um piscar de olhos porque dificilmente estamos inteiros no momento presente. Por esta razão, as práticas de mindfulness são, em geral, técnicas meditativas desenvolvidas com o propósito de treinar a atenção e que podem ser incluídas no dia a dia a partir de um processo de treinamento.

O curso Vida Mindful em 8 Passos propõe o aprendizado e prática das técnicas de mindfulness fundamentadas em evidência científica para treinamento da atenção plena. O objetivo do programa é desenvolver nos participantes habilidades e recursos para responder de forma mais saudável às situações estressantes, além de oferecer ferramentas para uma maior qualidade de vida.

Para quem é este curso?

Vida Mindful em 8 Passos é indicado para quem busca aumentar o foco, diminuir a ansiedade, aprimorar sua performance, melhorar a gestão do estresse e a regulação emocional.

Conteúdo

O programa é eminentemente prático, conforme o MBSR (Mindfulness Based Stress Reduction), protocolo mais estudado mundialmente e desenvolvido pelo Dr. Jon Kabat-Zinn, da Universidade de Massachussets.

São 7 semanas, sendo 7 encontros em grupo e 1 retiro urbano. A dinâmica é estruturada para que você desenvolva sua prática individual através de exercícios semanais, material didático e áudios guiados. Após a conclusão, você estará apto para a prática cotidiana das técnicas!

Quem vai ministrar essa experiência?

Flávia Belisário – Vida Mindful

  • Instrutora Certificada em Mindfulness aplicado à promoção da saúde, pela UNIFESP;
  • Cursa o Master em Mindfulness pela Universidad Zaragoza;
  • Fisioterapeuta;
  • Professora de Yoga;
  • Coordena (desde 2006), no Minas Tênis Clube, os Cursos de Yoga, Gestão do Estresse e Tai Chi Desenvolveu a metodologia Mindful Yoga, adaptada para atletas, aplicada na equipe de alto rendimento da Natação do clube;
  • Responsável pela coluna Bem-Estar no Blog do Minas Tênis Clube.

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!


Mídias digitais e comunicadores: como sobreviver na comunicação contemporânea

07 de Abril

sexta-feira

a primeira rodada de cervejas é por nossa conta!

19h30 — 21h30

horário


GUAJA

Afonso Pena 2881

40 participantes

máximo


R$ 50

inscrição

Inscreva-se >>

Objetivo

Em uma sessão descontraída, o workshop oferece aos profissionais de comunicação um panorama das oportunidades e desafios do mercado com o crescimento do digital, assim como discute as novas ferramentas de trabalho.

Público-alvo

A sessão trará um panorama dos desafios atuais dos profissionais de comunicação seguido de uma visão de oportunidades e um compilado de dicas para jornalistas, relações públicas, comunicólogos e profissionais que lidam com a comunicação de forma geral. Tópicos a serem tratados:

Mudança: era da informação > era da inovação;
Prosumers: produtores e consumidores de conteúdo;
Novas plataformas da era do relacionamento e diálogo;
Comunicador 3.0: características de um profissional diferenciado;
Minha redação encolheu, e agora? – Oportunidades para jornalistas;
Importância da qualificação constante e uso das mídias e plataformas digitais;
Influenciadores, blogueiros, youtubers e instagramers: aliados ou rivais?
Ferramentas úteis para profissionais de comunicação;
Cases e inspirações para seu próximo trabalho.

Facilitador | Kleber Pinto

Jornalista pela PUC-SP, Master em Jornalismo Digital pela Universidade de Navarra, na Espanha, especialista em Gestão Integrada da Comunicação Digital para Ambientes Corporativos pela ECA-USP, e Mestrando em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP. Professor convidado de Gestão de Conteúdo para Projetos Digitais na FAAP-SP. Experiência em projetos multimídia, curadoria de conteúdo, inbound marketing e mídias sociais. Histórico de palestras já ministradas: SENAC-SP, Unicesumar – PR, FGV – RJ, FGV – SP, UNOPAR – PR, Faculdade Pitágoras João Pessoa, YCON Formação Continuada – SP, Universidade Braz Cubas – SP.

Informações Adicionais

Conexão wi-fi, welcome coffee, coffee break.
Espaço para networking
Workshop com certificado

Depoimentos

Observações

Leia atentamente os Termos & Condições antes de se registrar!