2018 será feminino?

por

A gente se pega repetindo que o futuro é feminino. Em estampas, posts, hashtags, a expressão ganha força dentro e fora das redes sociais. Mas o que, afinal, queremos dizer quando afirmamos que o que há por vir é feminino?

2 min

17 Fevereiro — gastronomia + vida contemporânea
A urgência do para sempre e o bolo fofo que você respeita

por

Entre o vestibular, o relógio biológico e a casa própria, quanto você conseguiu descobrir sobre quem realmente é? Aqui, uma receita infalível para que você encha sua casa com um cheiro de afeto e calma, um cheiro de quando as pessoas frequentavam suas cozinhas para muito mais que uma rapidinha com o microondas e sem a urgência do para sempre!

3 min

Curso autoral
Building the Future: Os desafios da produção imobiliária nas cidades do Século XXI

por

Oito encontros construídos a partir de uma curadoria cuidadosa de profissionais que atuam nas mais diversas frentes que envolvem as novas fronteiras do Real Estate para construir uma jornada de aprendizado disruptiva e inspiradora.

27 fev; 01, 06, 08, 17, 20, 22, 24 mar
6 × R$ 590

16 Fevereiro — arquitetura + design
Mármore: uma demonstração de personalidade

por

De ares monásticos e associado a eventos solenes, o mármore, rocha natural de origem calcária, carrega no grafismo de seus veios e amêndoas, cores e texturas de grande carga compositiva e estética. Presente na construção de grandes catedrais góticas ou ainda em palácios venezianos do século XII, apresenta historicamente o apelo da nobreza e do trabalho artesanal.

4 min

15 Fevereiro — design
A hora e a vez do concreto

por

Não é de hoje que conferimos no design, principalmente de interiores, a utilização do concreto aparente. Bem contemporâneo é uma solução de grande efeito visual e de baixo custo. O que vem me chamando atenção — e estou gostando muito — é como designers estão desenvolvendo diferentes produtos utilizando o concreto como a principal matéria prima.

3 min

14 Fevereiro — arte & cultura
Autores, leitores e obras literárias

por

Se há interesse na existência da “literatura belo-horizontina”, é preciso olhar para o trabalho das editoras da cidade. São elas que selecionam, editam e publicam as palavras dos autores locais, possibilitando a conexão entre autor, leitor e obra. Conheça algumas delas!

3 min