Marketing digital além de mídias sociais

 Imagem: Oleg Laptev via Unsplash

Receba artigos sobre futuro + negócios semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Acordamos todos os dias e abrimos o Instagram, Whatsapp, Facebook. Daí temos a impressão que a única forma da nossa marca chegar até nossos consumidores são Mídias Sociais. Entretanto, uma estratégia de divulgação que pensa só mídias sociais é, no mínimo, manca. Ela depende da boa vontade dos algoritmos e de investimentos constantes em anúncios para que meu negócio chegue aos clientes. Então como diminuir a dependência da minha marca das mídias sociais?

Imagem: Taduuda via Unsplash

As mudanças mais recentes e cada vez mais constantes no algoritmo do Facebook têm feito algumas marcas acordarem e enxergarem que precisam pensar além de redes sociais. Há sim bons caminhos, não precisa fazer como a Folha e pular do barco de vez (leia esse texto para saber como usar bem as mídias sociais para seu negócio). Mas é importante que desde o princípio o trabalho da sua marca na internet não dependa apenas de táticas em mídias sociais. Pensar estrategicamente quer dizer enxergar o ecossistema de marketing digital, aprender bem com seu público e traçar uma estratégia que envolva contato com a marca nos vários canais relevantes. Vamos ver como fazer isso?

1. Quem é o seu público? Como ele se comporta na internet?

Todo trabalho de comunicação digital deve começar por pesquisas e elaboração da persona: um personagem semi-ficcional que representa o público-alvo e nos guia na tomada de decisões. Exemplo: sua marca deve estar mais presente no Instagram, no Facebook ou no Google? Não existe resposta pronta pra essa pergunta. A elaboração da persona é uma das maneiras de descobrir isso. Se o seu público, por exemplo, tem um comportamento de usar mais Instagram do que Facebook, você já tem a resposta. Se ele faz pesquisas no Google procurando pelo tipo de produto/serviço que você vende, então é preciso pensar como estar presente lá. Ou seja, se você começa a copiar outras marcas ou seguir conselhos de especialistas de onde você deve estar, você está tomando essas decisões errado. É preciso aprender com o comportamento do seu público, do seu negócio, e esse comportamento é único. Daí a importância da elaboração da persona.

2. Toda estratégia digital deve começar por um site bem pensado

Várias pessoas donas de negócio me dizem coisas como “ninguém mais acessa sites na internet, meu site tem poucas visitas, portanto um site da marca não é mais necessário”. Essa pessoa não poderia estar mais enganada. Todos os dias, todo mundo acessa sites na internet. Olha só, se você está lendo esse texto agora, você está acessando o site do GUAJA. Mas muito provavelmente você não digitou guaja.cc, foi em blog, procurou pelos posts mais recentes e leu todos até chegar nesse. Muito provavelmente você abriu um link enviado por um amigo, ou viu nas redes sociais, ou por uma newsletter, ou ainda fez uma busca no Google por alguns termos de busca que usei para construir esse texto. Ou seja, as pessoas estariam acessando seu site mais se você estivesse fazendo esse tipo de trabalho. Elas não estão achando seu site, porque não é mais hábito das pessoas digitar endereços de site. Elas procuram o nome da marca no Google e acham o site, ou vêem um anúncio, etc, etc. Portanto, ter um site não é apenas relevante nos dias de hoje: é mais do que necessário. Não dependa de outros sites (Facebook, Instagram) porque eles são os donos do jogo e mudam as regras o tempo todo. Você precisa ter sua casa própria na internet, e ele deve ser o centro das suas ações digitais.

3. Para que serve o blog de uma marca?

Você sabe o que é SEO? É o conjunto de técnicas que podemos usar para posicionar melhor o site da sua marca no Google. O começo do trabalho de SEO é descobrir uma lista de palavras-chave (também chamados termos de busca) que são utilizados pelo seu público quando eles procuram pelo tipo de serviço ou produto que você vende. Depois você deve usar essa lista para redigir os textos de seu site. Mas muito provavelmente só os textos do seu site institucional não serão suficientes para utilizar todas as palavras-chave que você identificar. Para isso serve o blog da empresa: para falar de temas que as pessoas estejam procurando no Google que possam ser associados ao seu negócio. Exemplo: se você é um restaurante vegetariano, por que não dar receitas de pratos vegetarianos? Ou falar sobre consumo de proteína vegetal? Entre outras diversas coisas que pessoas vegetarianas podem buscar no Google. Portanto, pare de achar que o blog da empresa serve para dar as notícias daquele último prêmio ou certificação que seu público nem sabe que existe, ou publicar fotos da festa de fim-de-ano (que no máximo interessa só aos seus funcionários e a você) e passe a criar conteúdo útil para seus potenciais clientes.

4. Construa seu mailing. Comece hoje.

Tem gente que acha que e-mail está morto, outros acham que e-mail marketing não funciona. Claro que já há públicos jovens que mal usam o e-mail, entretanto, é cedo pra dizer que o e-mail morreu. Mais ainda, para afirmar que e-mail marketing não dá resultado. Se você fizer certo, uma boa régua de relacionamento de e-mails pode garantir o fechamento de metas do mês. Mas se você compra uma lista de e-mails ou coleta e-mails de seus clientes e manda e-mails para eles sem que eles tenham expressamente autorizado isso, claro que seus e-mails marketing não vão funcionar.

O primeiro passo para ter e-mails marketing que funcionam é construir um lista, um mailing, do zero. Isso mesmo, você vai colocar um campo de coleta de e-mails no seu site, oferecer algum tipo de vantagem para que as pessoas assinem essa lista de e-mails (download de algum material, por exemplo) e elas vão saber e autorizar que vão receber e-mails de você. Você provavelmente não vai ganhar uma lista de mil e-mails da noite pro dia, mas os poucos que se subscreverem realmente têm interesse no que você vai mandar para eles. Ou seja: cresça devagar e organicamente essa lista que ela te recompensará posteriormente. Eu tenho taxas de abertura de e-mails que giram em torno de 20% a 30%, enquanto a média de mercado é de menos de 3%. O segredo? Construir uma lista.

5. Distribua seus ovos em várias cestas

Não aposte todas as fichas num lugar só. Serve para jogo de cartas, para investimentos financeiros e claro, também para estratégia de marketing digital. Não foque todos seus esforços de comunicação em uma plataforma apenas, mas aprenda a fazer uma distribuição inteligente de recursos. Exemplo: 60% para Instagram, 10% para Facebook, 20% Pinterest e 10% blog. Essa distribuição faz sentido, por exemplo, para um negócio de moda, ou decoração, em que o público tem o comportamento digital concentrado em ferramentas visuais e que usa massivamente o Instagram. Mas ainda assim, 100% dos esforços (de pessoas, tempo e dinheiro) não estão somente no instagram, mas abrangem outros locais de contato com o público. Assim, quando o comportamento do público mudar, ou quando a ferramenta mudar (instagram, no caso) o impacto não será tão forte, já que a presença digital da marca também estará sendo construída em outras mídias.

Lembre-se: marketing na internet é como uma caixa de ferramentas, para cada objetivo existe uma ferramenta diferente. Vai ser um pouco difícil parafusar algo usando um martelo, não é mesmo? Portanto desconfie de fórmulas prontas. Cada negócio, cada público pede um composto de comunicação diferente. Não existe uma só resposta certa para todas as possibilidades. Você, como pequeno empreendedor, precisa entender quais são as ferramentas disponíveis para saber qual a melhor usar. Se quiser aprender isso na prática no seu negócio, você pode querer fazer o Curso de Marketing Digital para Produtores Locais, aqui no GUAJA em BH, comigo. Já passamos de 300 pessoas que tiveram aulas comigo e gostaram. Vamos aprender juntos?

Autor
Sou graduada em Publicidade e Propaganda, tenho um MBA em Gestão Empreendedora em Marketing Digital e tenho mais de 14 anos de experiência. Meu negócio é o Ainda Que Tardia (aindaquetardia.com.br), uma escola de cursos pra aprender a ser livre. Atualmente tenho dois cursos acontecendo: Mídias Sociais (guaja.cc/cursos/midias) e Marketing Digital (guaja.cc/cursos/mktdigital), ambos voltados para o pequeno empreendedor. Sou professora de pós graduação na PUC Minas, na UNA e no UNIBH. Também faço cursos sob encomenda e sou palestrante.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se