Como fazer anúncios no Instagram e Facebook

 

Receba artigos sobre negócios semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Você sabia que o que existe de mais poderoso para falar com seu público em Facebook e Instagram são os posts patrocinados? Você já tentou impulsionar ou promover um post mas não obteve muito sucesso? Vou contar nesse post o beabá de como fazer anúncios no Instagram e Facebook que dão resultados efetivos e usam pouca verba. Vamos lá?

Se quiser aprender a fazer anúncios e conteúdo orgânico na prática para seu pequeno negócio, veja o curso presencial de Mídias Sociais para Produtores Locais em BH!

O que é conteúdo orgânico em Mídias Sociais e o que é anúncio?

A primeira coisa a aprender é separar o que é anúncio de o que é conteúdo orgânico. Anúncio é algo postado em uma mídia social e que pagou para essa mídia mostrar essa publicação para mais pessoas, ou para um público específico. Ou seja, se você não pagou para o Facebook ou Instagram, você não está fazendo anúncios, mas posts orgânicos.

Repare na informação de “patrocinado” logo abaixo do nome da marca nesse post.

“Ah, mas eu contratei um profissional de Social Media para fazer posts na minha página, então estou fazendo anúncios”, você pode me dizer. Se esse profissional não estiver criando posts pagos e você não estiver pagando uma verba de mídia (além dos valores mensais de gerenciamento de conteúdo), não é anúncio. Anúncio tem uma ferramenta própria para compra, que pode ser acessada em parte também via os famosos botões de “impulsionar” e “promover”. Quando um conteúdo que você vê no Facebook ou Instagram vem com a informação de “patrocinado” significa que ele é um anúncio. Se não tem essa informação, é conteúdo orgânico. Mas por que essa diferença importa?

O algoritmo do Facebook e Instagram

A gente ouve falar de algoritmos, mas você entende na prática o que eles são e como eles afetam sua página de negócio do Instagram e do Facebook? Um algoritmo é um código de programação grande e complexo, capaz de calcular um resultado com muitas variáveis. Por exemplo: como o Facebook e o Instagram decidem quais conteúdos você gostaria de ver na sua timeline quando você abre o aplicativo do Instagram ou do Facebook? Existe um número muito grande de publicações de seus amigos, páginas que você segue, grupos que participa, hashtags que segue. Nem todas essas publicações vão aparecer para você quando você abrir o aplicativo, somente uma pequena porcentagem delas. O algoritmo do Facebook (e do Instagram também) avalia todos esses posts feitos pelos relacionamentos que você tem e calcula a probabilidade de você gostar de um conteúdo, baseado em suas interações anteriores (posts que curtiu, comentou, clicou, compartilhou, etc.). Ele então faz o que chamamos de análise preditiva, que é basicamente uma “mãe Dinah” da internet: calcula quais dos posts você tem mais chance de se envolver (interagir) com ele, a partir de suas interações anteriores, e mostra esses posts na sua timeline. Os demais, você só verá se entrar nos grupos, páginas ou perfis de amigos específicos.

via GIPHY

Assim sendo, quando você publica algo na página do seu negócio, essa publicação concorre com todas as publicações de amigos, outras páginas, grupos, etc. para ver qual publicação vai aparecer no feed delas (ou timeline, ou mural de uma pessoa: aquela parte que você abre e fica rolando as publicações para baixo). Se o post que você fez for avaliado como menos interessante do que os posts concorrentes, ele não aparece na timeline das pessoas que seguem sua marca.

via GIPHY

Isso é o que chamamos de alcance orgânico do Facebook (ou do Instagram). Atualmente, para o Facebook, a média de alcance orgânico das páginas está em cerca de 1%. Ou seja, de 100 pessoas que curtiram ou seguiram sua página, apenas 1 verá o conteúdo na timeline dela. Muito pouco, certo? Mas o melhor das mídias sociais para negócios não está no conteúdo orgânico, mas em anúncios: os posts patrocinados. Porque a lógica de visibilidade desses posts, apesar de também influenciada pelo algoritmo, é diferente da lógica de um conteúdo orgânico. Você não precisa que uma pessoa siga sua marca para que ela veja conteúdo sobre você. Basta pagar (ou seja, colocar anúncios) para o Facebook e Instagram e escolher a segmentação adequada de pessoas que deveriam ver o conteúdo da sua marca.

Crie um personagem que represente seu público-alvo

Para achar as melhores segmentações de anúncios no Instagram e Facebook o primeiro passo é conhecer muito, mas muito bem mesmo seu público. Falo mais amplamente desse assunto nesse post, confira nele um passo a passo para conhecer seu público. Mas em resumo é: criar uma buyer persona, um personagem semi-ficcional que representa seu público-alvo. Usando os comportamentos, hábitos e estilo de vida mais comuns entre as pessoas do seu público, você consegue encontrá-las via anúncios bem segmentados em mídias sociais.

Por exemplo: se você vende carrinho de bebê, qual o hábito, estilo de vida ou comportamento mais comum do seu público? Quem são as pessoas que compram carrinhos de bebês? São pais de bebês e pessoas grávidas. E existe exatamente essa segmentação de anúncios em Instagram e Facebook: pais de crianças de 0 a 12 meses, grávidas, interesse em parto, etc. Bem mais assertivo que fazer um anúncio para “pessoas que curtiram sua página e amigos delas”, certo? Afinal nem todo mundo que é amigo de uma pessoa grávida está grávida, não é mesmo? Ou seja: para os anúncios serem eficazes, o principal é entender o comportamento do público, descobrir informações, dados sobre eles e usar esses dados em segmentações adequadas para anúncios.

Não use os botões, mas o gerenciador de anúncios

Os botões que aparecem nas publicações, o “impulsionar” do Facebook e o “promover” do Instagram são o jeito mais fácil de transformar um post orgânico em um anúncio. Se você nunca fez um anúncio em Facebook ou Instagram, pode se um bom jeito de começar. Mas assim como andar de bicicleta você começa com rodinhas e depois tira, você pode começar com os botões, mas idealmente passa para uma ferramenta mais especializada depois.

Ao fim de cada publicação que você faz em sua página no Facebook ou Instagram aparece o botão de impulsionar ou promover

A que eu recomendo para iniciantes é o aplicativo para smartphones do próprio Facebook, que se chama “Gerenciador de anúncios do Facebook” (é o mesmo para o Instagram). A plataforma de anúncios é a mesma para as duas mídias, o Instagram é do Facebook. Nesse aplicativo você consegue criar um anúncio novo, do zero, criado especificamente para ser um anúncio, ou ainda usar alguma publicação já feita para transformar em anúncio. Ele possui mais recursos que usando os botões, e por isso que recomendo ele.

Símbolo do aplicativo gerenciador de anúncios do Facebook, que serve também para Instagram

Descubra a segmentação de público que te dá mais resultado

Uma vez que desenhar a persona, teste possibilidades de segmentação no gerenciador de anúncios. Por exemplo: minha persona é uma pequena empreendedora, que busca informações na internet sobre como fazer marketing digital por conta própria. As primeiras segmentações que tentei foram baseadas em interesse em empreendedorismo, donos de pequenos negócios, interesse em marketing digital. O que é bom, é mais específico do que “mulheres entre 20 a 40 anos da RMBH”, por exemplo. Mas ainda não era bom o suficiente, poderia ser algum comportamento mais específico.

Exemplo de segmentação por comportamento, começando a digitar a palavra “pais” em direcionamento detalhado, a ferramenta de anúncios dá as opções de segmentação possíveis relacionadas

Qual seria um comportamento, estilo de vida, hábito ou interesse comum entre pequenos empreendedores? Interesse em SEBRAE, por exemplo. Pequenos empreendedores geralmente têm alguma relação com o SEBRAE. Resolvi checar se essa era uma segmentação possível, e voilá! Ela existe no detalhamento de público da ferramenta de anúncios. Passei a usar essa segmentação e ela me deu bem mais resultado do que as primeiras. Mas não parei por aí, descobri que dá pra fazer segmentações ainda mais assertivas usando uma outra ferramenta gratuita do próprio Facebook: o pixel.

Faça segmentação avançada de público usando o Facebook Pixel

Além do aplicativo gerenciador de anúncios e os botões, há uma terceira forma de criar anúncios para Instagram e Facebook: o Gerenciador de Anúncios do Facebook. Se você não conseguir acessar via link, pode ser que nunca tenha feito um anúncio, portanto a ferramenta não fica disponível. Impulsione ou promova qualquer publicação da sua página, coloque 1 real por 1 dia, usando os botões mesmo, pra ativar a sua conta de anunciante. Aliás, esse é o mínimo possível de anunciar: 1 real por dia. Qualquer valor acima disso pode. Minha verba mensal gira entre 50 e 300 reais. Para cada negócio será um valor ideal diferente, mas estamos falando de qualquer valor que você tenha para investir, a partir de 1 real por dia.
Essa ferramenta do link acima é a plataforma completa de compra de anúncios em Instagram e Facebook. Nela você tem acesso a todos os recursos, inclusive ao Facebook Pixel.

Aprenda a gerar o código do Facebook Pixel neste artigo, e cole-o no cabeçalho de todas as páginas do seu site (se você não é programador, peça ao seu programador para fazer isso). Depois de instalado (colado) no site, o código demora algumas horas para funcionar e você recebe uma notificação no Facebook quando isso acontece.
Qual a grande mágica que esse código opera? Permite identificar, no Instagram e Facebook, pessoas que tenham algum comportamento específico no seu site. Exemplo: se seu site tem uma página de “pedido de orçamento” não seria lindo se você conseguisse mostrar um anúncio no Facebook ou Instagram pra pessoas que acessaram essa página? Pois com o Facebook Pixel isso é possível, e muito mais.

Bom, esse post é só um gostinho do Curso de Mídias Sociais para Produtores Locais que acontece no GUAJA, em BH. Veja aqui as próximas datas e valores do curso, caso você queira aprender mais sobre isso.

Autor
Coletivo de Professoras especialistas em Marketing Digital e Negócios. Ana Paula Coelho, Caroline Crozara e Isabella Ferreira.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se