Conceito, cor, textura: conheça a fruta imaginária mais interessante do Brasil

 Foto: Patrícia Mara

Receba artigos sobre comida + design semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Eu me lembro da primeira vez que vi o fruto de guaja. Cerca de dois anos atrás uma colega de trabalho chegou no escritório contando que tinha acabado de conhecer um lugar lindo, recém-inaugurado. “É o GUAJA, a sede nova deles”, ela provavelmente me explicou — e, em seguida, me entregou um cartão de visitas com o nome de um dos sócios-fundadores.

flor da guajeira
Ilustração: Cláudia Lambert

Lembro de ficar encantada com o desenho botânico e me pegar um pouco intrigada tentando imaginar como seria o coworking-café-restaurante-bar que minha amiga descreveu. Já conversei com alguns visitantes na casa que, numa forma análoga à minha reação inicial, ficam igualmente intrigados ao ver, no cardápio, o item “suco de guaja”. “O que é guaja?” talvez seja uma das perguntas mais ouvidas por aqui.

Para fins de entendimento: o GUAJA, assim, em caixa alta, é nossa casa aqui na avenida Afonso Pena. A guaja, em lower case, é nossa fruta do coração. Conversei com algumas das pessoas envolvidas no processo de criação desse ícone cheio de significados, descobri fatores que o tornam ainda mais intrigante — e o resultado você confere a seguir. Vem comigo 🙂

Que fruta é essa?

O conceito do fruto de guaja foi criado por alguém que, definitivamente, entende do assunto: Quincas, ecólogo, ex-diretor do Jardim Botânico de Brumadinho. A fruta, naturalmente, faz parte do branding criado para nossa casa em sua inauguração, lá em fevereiro de 2016, realizado com a Greco Design.

A guaja é uma fruta nativa da região de encontro do Cerrado com Mata Atlântica, que é a vegetação predominante na região metropolitana de Belo Horizonte. Suas características tem tudo a ver com um ambiente serendípitico: a guajeira nunca tem apenas uma flor, mas uma inflorescência — ou, para quem não está muito familiarizado com termos de botânica (como eu!), um conjunto de flores.

A metáfora para um espaço de coworking não para por aí: a reprodução da guajeira se dá sem periodicidade definida, influenciada por fatores mil — seja o clima, as fases da lua, a energia das pessoas. Seus brotamentos surgem espontaneamente. A descrição completa você encontra em guaja.cc/sobre 🙂

Cláudia Lambert, responsável pelas ilustrações botânicas da fruta, conta que esse processo envolveu muitas horas de trabalho entre pesquisas, esboços e finalização em aquarela. Naturalmente, surgiu uma ansiedade no começo — dar forma a um conceito já é tarefa exigente, desprogramar o cérebro acostumado com frutas que já conhecemos é ainda mais desafiador! Por isso, a criação das imagens foi a etapa mais estimulante.

Cor, textura, sabor

Quem conhece o Bar do Convés — lar do happy hour do GUAJA — já viu o nome Jezebel no cardápio. Ela é responsável pela nossa carta de drinks e trabalha com a equipe desde o comecinho da nossa viagem. Bartender responsável por criações marcantes, uma delas foi o suco de guaja. Já pensou ter a tarefa de criar um suco para uma fruta que não existe no mundo real?

Descobri, numa conversa com ela, que o ponto de partida da criação do suco foi, naturalmente, as frutas típicas do cerrado. Esse detalhe é determinante para o sabor e textura do suco de guaja: aqui na casa, cunhamos a frase “batido com casca” graças à sua aparência, já que ele possui pequenos fragmentos que indicam que é preparado dessa forma. Ser similar a uma fruta do cerrado traz, também, frescor e leveza.

Foto: GUAJA

A história da criação do sabor tem altas doses de serendipidade. Após receber essa tarefa, o insight que deu o pontapé inicial na criação para Jezebel veio de uma frase-chave durante uma conversa com seu namorado. Essa frase não pode ser revelada: ela está relacionada a um dos elementos principais do suco — e sua receita, como você deve estar imaginando, é mantida em segredo.

O suco foi criado em apenas 2 dias (!), e foi resultado de uma pesquisa intensa de frutas com o objetivo de encontrar a cor, a textura e o sabor ideais. Além disso, Jezebel foi em busca de um ingrediente que permitisse que o suco pudesse tomado até por diabéticos do tipo 1 — é adoçado naturalmente.

A criação de Jezebel foi aprovada de primeira pela equipe do GUAJA e, com isso, ela ganhou o título de mixologista. Esse processo de criação expandiu seus horizontes — e, sendo feito por uma especialista em drinks, rendeu o drink de guaja, que leva cachaça, bebida tradicional da região assim como os frutos do cerrado, e gelo de amora.

Foto: Bruno Senna

Conhecer mais sobre essa criação trouxe memórias que guardo com carinho. Vários meses depois de ter ganhado o cartão de visitas de minha amiga, juntei os post-its, canetas, caixas de chá e outras tranqueiras que estavam na minha estação de trabalho para levar para casa porque, na manhã seguinte, eu começava meu novo estágio na equipe de comunicação do GUAJA. Na caixinha de lápis, me deparei com o cartão que eu tinha recebido meses antes, com o desenho do rizoma do fruto de guaja: uma pista sutil do futuro que o universo havia enviado. Mas isso é assunto para outro texto! Os ingredientes do suco seguem sendo um mistério para mim. As coisas imaginárias são mais interessantes.

Autor
Da equipe de comunicação do GUAJA, graduanda em Relações Públicas. Gosta de ver as coisas de uma perspectiva incomum e entender como elas funcionam. Se quiser falar de música e arte é só me chamar.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se
Você vai gostar

procurando um serviço de impressão?

a Futura Express também está no GUAJA! Nossos novos parceiros oferecem entrega grátis todos os dias no GUAJA. conhecer a Futura Express