A sua transformação cultural e o futuro do seu negócio

 

Receba artigos sobre trabalho semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Transformação cultural em rota acelerada. Um novo jeito de viver se instala rapidamente nas sociedades globais. Ter menos coisas e ser relevante para a comunidade. Planejar menos, fazer mais, arriscar, errar, testar, prototipar, aprender.

No mundo inteiro, a economia aberta ganha escala e os novos modelos assustam dinossauros como Jorge Paulo Lehman, um dos homens mais ricos e influentes do país. A riqueza passou a ter outro formato, a ostentação está fora de moda e pessoas com poder temporário e modelo mental ultrapassado estão em visível decadência.

A nova economia cria bilionários, distribui poder, dá acesso a tudo massivamente e confronta de forma radical os conceitos que vivemos até hoje. A inovação está por todos os lados, a transformação digital a todo vapor. Tecnologias disruptivas, Biotech, NanoTech, robótica, startups incríveis se revelam todos os dias. Um novo e interessante mundo está começando.

Frente a tanto barulho, decidi perguntar para diversas pessoas: qual é o desafio dos desafios do nosso tempo?

Nos centros de inovação avançada, há um retorno ao humano. Klaus Schwab, do World Economic Forum, em 2016, escreveu em seu livro sobre o Renascimento Cultural do Planeta. Este ano, mais uma vez ele sugere: olhe para o sistema, não para a tecnologia. É o ecossistema global que está em mudança, tecnologia é a ferramenta apenas.

Depois da onda inicial, necessária para o despertar geral, a ansiedade começa a dar lugar ao equilíbrio e ao bom-senso. Precisamos nos reinventar como sociedade e inserir o aspecto humano na discussão é definitivo.

Nossa natureza não é exponencial. Ela requer passagens bem feitas, processamento de informações, tempo para mudança. Podemos acelerar, sem dúvida, mas jamais pular etapas. A maior das transformações é cultural. Temos de nos tornar capazes de abandonar velhos dogmas e abraçar o novo mundo em seu formato quântico, misterioso, estranho ainda para a maioria.

Como pessoas, precisaremos rever nossa forma de viver e de nos relacionar com os outros e com o mundo. Como profissionais redesenhar a rota é urgente. As empresas terão de tomar grandes decisões que podem oscilar entre assumir sua extinção e preparar-se para ela, inovar sabendo que o velho jeito de inovar não basta, pivotar o negócio ou investir em novas oportunidades com formatos mais adequados a nosso tempo. Essa é a primeira pergunta que qualquer CEO ou empresário deveria responder quando o assunto é o futuro do negócio.

Sobre o futuro do trabalho, muito se fala, pouco se sabe. Evidências mostram que é possível que alguns grupos tenham perdas iniciais mas muito mais oportunidades se estiverem qualificados para abraçá-las. Vinte e uma profissões da próxima década já estão mapeadas e têm requisitos completamente diferentes dos que conhecemos até agora.

O mundo vem se tornando um lugar sem idade e sem gênero, e a luta pela igualdade está cada vez mais intensa, assim como a consciência de que a diversidade é uma riqueza da nossa espécie. Inclusão, associação, rede, conexão, colaboração são palavras do nosso tempo.

Não há pessoas imunes à transformação do mundo. Talvez uma boa forma de passar por este momento intenso seja fluir com ele, deixar-se levar pelo movimento, quebrar a cristalização da mente que criamos para nos sentirmos seguros de alguma forma e andar junto com os demais na direção de um novo mundo.

* Essa é uma das abordagens que levo para Belo Horizonte neste mês, nos dias 12 e 31, por meio dos cursos Futurismo e a transformação dos negócios e Liderança Exponencial. Será uma imersão de um dia inteiro, onde outras teorias e práticas serão desdobradas. Mais informações aqui.

Autor
Futurista, humanista facilitadora de educação corporativa, CEO da W Futurismo e W Future School, partner do Projeto Millennium, expert em Desenvolvimento Humano e Gestão Estratégica de Mudança. Formada em Gestão de Pessoas e Competências pela FGV-SP e aluna da Singularity University, certificada como Professional Certified Coach pela ICF há 15 anos e empreendedora digital. Atuo em mudança de cultura e estratégias de inovação, facilito programas de liderança exponencial e participo ativamente dos ecossistemas de inovação e empreendedorismo do Brasil.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Você vai gostar

Algoritmo é o novo abstrato?

por

Cada passo mapeado pelo Watch, cada tweet durante a madrugada, cada caloria contada ou música baixada está sendo controlada por aquela… continue lendo ->