“Gratifica-se quem me encontrar”, encontro feminino de gerações

 

Receba artigos sobre cultura semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Muito se perde das memórias e histórias que atravessam uma geração para outra. Outro tanto se converte em algo novo e, então, sobra uma parte – pouca ou muita –, de encontro. Esse encontro, aqui, se deu através da palavra. As palavras escritas por minha avó, durante diversos momentos de sua vida, ecoaram em mim e, diante disso, surgiu o desejo de trabalhar com, sobre e por meio delas.

A história que aqui contamos é anterior a mim, mas carrego parte dela e também a transformo. Memória é construção viva, um tanto real, outro tanto regada de ideação e invenção. Através do diálogo texto-imagem e das sobreposições de histórias, juntas, parimos essa publicação chamada “Gratifica-se quem me encontrar”. Ela foi gerada a partir de inquietações que surgiram nesse encontro. Encontro de duas mulheres, que compartilham a família e a vida.

 

Esse projeto começou como trabalho conclusão de curso de Design da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Com um desejo inicial de trazer à tona questões sobre a ditadura militar sob a perspectiva da mulher, comecei a mergulhar nas lembranças da minha avó. Ela foi estudante de Psicologia e militante da Ação Popular, com quatro processos militares que a deixaram presa por um ano, durante o regime ditatorial.

Durante esse processo, entrei em contato com toda sua produção literária (secreta, até então). Textos autobiográficos, minicontos, contos, romances, cartas, textos soltos, notas, etc. E foi nos textos em que ela fala, lida e reflete sobre seus próprios sentimentos que eu mais me identifiquei. Enxerguei a possibilidade de trabalhá-los graficamente, e assim, criarmos algo novo.

 

Então, firmamos nossa parceria gráfico-literária e construímos esse livro. Apresentando as impressões líricas de uma mulher que viveu diversas fases políticas e comportamentais do Brasil, que vão desde os anos dourados, passando pela ditadura militar, até chegar nos dias atuais; criamos nossas memórias.

 

“Gratifica-se quem me encontrar” é composto por recortes de textos e colagens. Escrito pela avó e psicanalista Marília Pires e com o projeto gráfico e imagens minhas. Editado pela Selo Leme, da Editora Impressões de Minas, com posfácio da escritora e artista plástica Julia Panadés. Será lançado no dia 8/12 (sábado), das 12h às 16h, no espaço de cultura e restaurante A Central (Praça Rui Barbosa, 104, Centro).

 

  • Lançamento do livro “Gratifica-se quem me encontrar”
    Dia 8 de dezembro de 2018 (sábado)
    Horário 12h às 16h
    Local: A Central (antigo Café 104)
    Praça Rui Barbosa, 104 – Centro
    Entrada Franca
Autor
Rita é formada em Design pela UFMG, aonde realizou projetos de extensão e de iniciação científica. Trabalha, além do design gráfico, com cenografia e expografia. Se dedica também à estudos da cultura popular brasileira e integra o coletivo de experimentação com base em linguagens rítmicas populares Humaitá Cultura Popular.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se