Autor
Hanna Litwinski

Sou a rapa do tacho de uma família mineira de cinco filhos. Apareci por descuido e cresci despercebida, num universo de adultos. Aprendi quase tudo através da observação e da imitação. Este relativo descampado social me brindou com uma vastidão no campo da imaginação. Passei a habitar o mundo das palavras e por isso fui uma criança com vocabulário e repertório incomuns. A inadaptação fez surgir uma habilidade que me permitiu criar pontes e afetar as pessoas através da minha escrita. Quando me dei conta disso me senti segura. A escrita, para além da necessidade, passou a ser o meu modo de existência.

artigos de Hanna Litwinski

18 junho — cidade
Faltou Beijo pro Rafinha

por

Na minha cidade existia um homem que chamava Beijo. Acho que ninguém sabia o nome dele de verdade, nasceu e morreu Beijo.

3 min

16 maio — cultura
Balburdiemos

por

Não ceda porque esse não é o país que a gente quer. Não admita que o Estado queira ter gerência sobre os seus valores e orientações.

2 min

16 abril — amor
Carta para Augusto

por

Já que seus pais fizeram a loucura de nos escolher como seus padrinhos, deixe a gente se apresentar pra você e dizer o que pode esperar de nós.

3 min

14 março — amor
Nós, impostores do esposório

por

Não me lembro como era antes de ser, não por romantismo, mas pela memória capenga e porque é muito curioso você se tornar adulto ao lado de outra pessoa tentando ser adulta também.

2 min

21 fevereiro — diversidade
Toda mãe é sereia

por

Sim, nossa substância fundamental é mãe. Não fique pensando em uma mãe idealizada que carrega um estoque sem fim de amor incondicional e conselhos sábios numa cestinha cor-de-rosa de candura;

3 min

15 janeiro — futuro
Anunciaram e garantiram, mas o mundo não se acabou

por

Quem tem altivez no espírito jamais vai se apequenar. Compartilho com enorme gratidão uma das histórias mais lindas e espontâneas que já ouvi e que o mundo virtual (o mesmo que me surrou) trouxe pra mim em forma de amigo

3 min

7 dezembro — diversidade
Hanna, a estranha

por

Ontem saí com uma amiga que apesar de encontrar pouco é garantia das melhores risadas. A gente sempre troca mensagens falando: vamo encontrar? “Vamo! Saudade!” Aí retoma essa conversa no próximo mês. Essa semana rolou. Marcamos num lugar bem modernete e cheguei no horário combinado porque isso é mais forte do que eu. Ela já […]

4 min

25 outubro — diversidade
Pra não deixar de ser eu — embora preferisse te falar das flores

por

Eu não compreendo como é possível achar frescor e votos de mudança em algo que está posto há trinta anos. Nem Balzac entenderia. Me recuso a acreditar que num mundo de possibilidades e ações engenhosas estejam elegendo a repressão como a forma mais eficiente de combate.

3 min

25 setembro — diversidade
226-8564 pra sempre vai tocar

por

Sobre os rumos distintos que as vidas tomam e que estava tudo bem, isso não significava desafeto. Falou que o meu lugar estava guardado nela e que nada na vida podia tirar.

2 min

10 setembro — diversidade
A Madonna, a Camillie e eu. E você?

por

Seja o seu feminismo roxo ou cor-de-rosa, só tenha em mente uma coisa: nunca diminua outra mulher para se sentir melhor. Essa é a maior trucagem que o patriarcado arquitetou para nos desbancar: a rivalidade feminina.

4 min

cursos de Hanna Litwinski