Mobiliário autoral: uma seleção por Pedro Haruf

 Casa Gregori Warchavchik

Receba artigos sobre arquitetura + design semanalmente em sua caixa de entrada!

×

As peças de mobiliário são parte fundamental de um bom projeto de interiores, e escolher bem quais peças usar pode transformar e definir a qualidade do projeto como um todo.

Há um tempo, percebe-se o retorno do uso de móveis autorais, utilizando peças assinadas desenvolvidas nos anos 40 e 50. É interessante notar que o design moderno de móveis no Brasil surgiu da demanda de projetos de interiores. Gregori Warchavchik — arquiteto russo radicado no Brasil — desenhou o projeto de interiores e os móveis para sua casa da rua Santa Cruz, em São Paulo, considerada a primeira casa modernista do Brasil.

Casa Gregori Warchavchik

Mas como usar o discurso autoral e de mobiliário assinado sem precisar recorrer a móveis já consagrados e, por consequência, mais caros?

Os projetos de interiores e de arquitetura contemporâneos estão profundamente ligados a um entendimento natural do seu tempo. Uma novíssima geração, formada por jovens designers brasileiros, está nascendo e desenvolvendo um trabalho interessante e importante para o nosso tempo. Eles estão começando a ser reconhecidos nacionalmente, com o bônus de serem mais acessíveis.

Convidamos o arquiteto e designer Pedro Haruf para listar nomes do cenário nacional que são reconhecidos pela excelência de seus trabalhos e por darem continuação à tradição moderna brasileira. Muitos deles estão mais perto do que você imagina!

Haruf é arquiteto e designer de produto, pós-graduado em mobiliário pela UEMG. Nos últimos anos, desenvolveu várias tipologias de projetos que vão de prédios públicos (3º lugar no concurso para Centro Administrativo de Belo Horizonte, 2014), passando por projetos de casas (1º Concurso Casa 10X10 do Bim Bom, 2015), projetos de interiores residenciais e comerciais (Menção Honrosa Prêmio IAB-MG 2016 – Categoria Projeto de Interiores com Restaurante Sargas), a projetos de mobiliários como a Mesa Victor e o Sofá Muito Para Falar Nada Para Dizer.

Confira abaixo a lista de Haruf.

1. Estúdio Iludi

O Estúdio Iludi é formado pela dupla Luiz Costa e Rodrigo Irffi. Com menos de 25 anos de idade, eles produzem desde 2014, tendo evoluído muito desde sua primeira peça: a luminária Muda. Entre produtos diversificados, como luminárias, quadros e mobiliário, destaca-se a mesa Lateral Sense Due — uma peça elegante e fácil de usar dentro de um projeto de interiores. Ela está sendo vendida em importantes lojas da cena nacional, tem feito bastante sucesso.

2. Ricardo Rangel

Trabalhando essencialmente a madeira, o arquiteto consegue aliar bem formas as fluidas, típicas da contemporaneidade — com a referência do móvel moderno brasileiro, criando uma linguagem bem particular. São boas escolhas peças como a cadeira João, que participou da mostra História da Cadeira, no Museu de Artes e Ofícios, em Belo Horizonte, e a Poltrona Oca, que compõe ambiente da Situar Arquitetura dentro da CasaCor Minas de 2017.

3. André Ferri

Designer e marceneiro, ele produz suas próprias peças, o que torna o trabalho ainda mais impressionante. Seus produtos possuem acabamentos refinados e de difícil execução. O trabalho tem a madeira como protagonista e descende diretamente dos mestres da marcenaria do design moderno brasileiro.

Premiado, ganhou o concurso Salão de Design, mais importante do ramo no Brasil, em 2013, como estudante, e em 2016 como profissional.

Uma de suas grandes criações é a Poltrona Toro, uma peça de escala precisa, desenho ousado e bom assento. Além dela, André tem feito luminárias que são verdadeiras obras de arte.

4. Cultivado em Casa

Formado pelo trio Bárbara Meirelles, Diego Garavini e Mikael Dutra, designers de produto formados pela FUMEC. O estúdio iniciou seu trabalho em 2012, aprofundando no estudo de novos materiais e mobiliários de série numerada, ou seja, peças de design-arte. O trio tem colhido fruto desde então, já tendo exposto uma de suas peças — a Bucha Soberana, uma peça única — na feira de Milão, em 2015.

Outro destaque é a Super Jardim, uma poltrona feita com mangueira que, apesar do aspecto, surpreende pelo conforto!

5. Ofício Lenho

Danilo Faria é o designer e artesão por trás do Ofício Lenho. Desde 2015, ele desenvolve mobiliário com o foco na madeira, no ferro e no couro, buscando soluções engenhosas de encaixe e de dispositivos de montagem.

Premiado, foi finalista dos concursos IDEA Brasil em 2014, do Prêmio Museu da Casa Brasileira em 2016, e do Salão do Design em 2016 e 2017.

Dele, destaco a novíssima Poltrona Hoop, que ele lançou na MADE, Mercado de Arte e Desing, em São Paulo, em agosto do ano passado.

Viu só? Não é preciso ir muito longe — nem no espaço, nem no tempo — para encontrar a peça perfeita! Valorize o mercado de mobiliário autoral brasileiro, valorize as novas gerações.

Autor
Comunidade criativa que inspira ideias e conecta oportunidades. Com atuação on e offline, construímos juntos um ambiente de conteúdo e aprendizado.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se
Você vai gostar

Aprenda lettering agora

Com apostila grátis! BAIXAR AGORA