Plante com Chico: o verde dentro da sua casa

 

Receba artigos sobre amor + arquitetura + trabalho + vida contemporânea semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Às vezes, ou várias delas, a gente se depara com uma ideia que faz o coração bater mais forte e questionar com qual propósito estamos vivendo. Desde a infância somos ensinados a seguir protocolos: ir para a faculdade logo após o ensino médio, escolher uma profissão que dê um bom retorno financeiro e, quem sabe, sobra um tempinho pros hobbies.

Nessa onda de imposição, algumas paixões e sonhos se perdem ou parecem impossíveis de se concretizar. Quem nada contra a corrente resiste e redescobre prazeres, no tempo de cada um. No caso do Chico, esse tempo foi de 1 dia — quando ele foi ajudar a irmã Luisa, grávida na época, a cuidar das plantas do seu apartamento.

Chico, apelido do Francisco Mascarenhas, é o nome e o profissional por trás da Plante Comigo, empresa especializada em inserção de espécies e projetos paisagísticos com consultoria. Foi ele quem trouxe o verde para o GUAJA e deixou nossa casa mais bonita e fresquinha. Arquiteto por formação, nunca foi fã do mercado da arquitetura, e no Paisagismo foi onde ele se encontrou.

De hobby a serviço pioneiro no mercado

Ali, dando uma mãozinha pra irmã em uma tarde despretensiosa, Chico decidiu que era isso mesmo que queria fazer: transformar a vida das pessoas por meio das plantas. O nome também nasceu nesse dia. “Plante Comigo. É isso, literalmente. A pessoa não vai simplesmente buscar sua planta na floricultura, mas sim aprender comigo, ao meu lado, o passo a passo para inserir a espécie no ambiente e cuidar dela”, conta.

A Plante Comigo une o lado comercial a algo muito maior, ideológico. Como um convite que abraça, Chico se coloca à disposição e mergulha de cabeça na empreitada do cliente. “Eu quero que, assim como aconteceu comigo, outras pessoas percebam quanta diferença o Reino Vegetal faz no ambiente. Passo meu conhecimento sem narcisismo, quero meus clientes felizes e apaixonados, por isso estou disponível para esclarecer qualquer dúvida, antes, durante e após a compra.”

E por falar em clientela satisfeita, Chico diz estar sendo cada vez mais acessado. “Tenho percebido um interesse crescente por plantas e por saber cuidar delas. O verde foi deixado de lado e agora sinto que essa consciência está sendo retomada. As pessoas estão reconhecendo o valor das plantas para dentro de casa e para vida.”

O grande diferencial da Plante Comigo é a inserção de espécies em espaços internos, acompanhada de uma consultoria que aproxima Chico de seus clientes. Quem opta por adquirir uma espécie, mais do que comprando um produto, está fortalecendo e disseminando a ideologia das plantas enquanto desenvolve habilidades e aprende a ter cuidado. Vários são os casos também de pessoas que adotam as plantas como terapia. Para além da questão ambiental, existe uma motivação de menor escala que leva as pessoas a quererem estar em contato com a natureza e botar a mão na massa, ou na terra, criando e tratando as plantas com o carinho de quem cria pets.

Para esclarecer aos não-arquitetos de plantão, a inserção de espécies se dá principalmente em ambientes internos e flexíveis, onde seja possível trabalhar várias espécies. Já um projeto paisagístico é maior e mais complexo, porque considera todo o projeto técnico e arquitetônico do espaço. Para tanto, é preciso avaliar as influências de vento, sol, chuva, etc, de forma a implantar as espécies adequadas a essas condições. Em um projeto paisagístico, depois de plantar não há caminho de volta — por isso é tão importante a presença de um especialista que faça um estudo completo do ambiente.

Plante Comigo: nascimento e concepção da marca

Há 6 meses Chico chegou ao GUAJA para assumir nosso projeto paisagístico. A Plante Comigo era uma ideia recém-nascida e ainda precisava de uma cara. De lá pra cá, muita coisa mudou e o projeto ganhou cor, logo e aplicações em cartões de visita e outros materiais. A Plante Comigo se transformou oficialmente em uma marca.

O logotipo, desenvolvido pelo nosso designer Fred, é carregado de conceitos que são centrais: são artérias pulmonares que, olhadas de cabeça para baixo, têm o formato de uma árvore. O Chico amou. Também pudera, quer combinação mais coerente e simbólica do que essa?

Realizado e querendo ir ainda mais além, Chico diz que a procura e o interesse das pessoas pelo seu trabalho é uma grande fonte de incentivo. “Além disso, estudar me motiva muito. O mundo das plantas é um terreno muito fértil, todo dia eu descubro alguma novidade, seja sozinho ou junto aos meus fornecedores. As formas como o mercado está se abrindo para esse universo também tem sido bastante interessante: são novos acessórios, espécies e possibilidades.”

Dentre as espécies trabalhadas, alguns rostinhos são bem conhecidos. Orquídeas, hibiscos, comigo ninguém pode… mas quem tem um espaço especial no coração do Chico são as diferentonas, como ele mesmo diz: Ipomea Rubra (coração negro) e plantas aéreas são suas preferidas. Nada convencionais, elas também conquistam o gosto e a curiosidade dos clientes.

Ver o mercado se abrindo é bom, e o interesse das pessoas crescendo melhor ainda. Mesmo assim, a resposta das próprias plantas ainda é o que deixa o Chico mais realizado. “Ver o resultado de algo nascendo e crescendo a partir da sua dedicação é não apenas satisfatório, como também empoderador. Um verde exuberante não tem preço”, conclui nosso paisagista.

Vários produtos da Plante Comigo estão disponíveis aqui no GUAJA! Venha nos fazer uma visita e, quem sabe, volte com um verde para sua casa. 🙂

Autor
A paixão pela palavra — escrita, falada ou não-dita — fez de mim jornalista e publicitária pela UFMG. Nos encontros me redescubro, nos desencontros me reinvento e nas experiências me multiplico e inspiro para ir sempre além. Deixo um pouco de mim em tudo o que faço, e levo um pouco de tudo dentro de mim.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Você vai gostar

6 Março — arquitetura + cidades

Rua Célio de Castro, Floresta: detalhes de memórias

por

Da varanda da casa da Rua Célio de Castro, no bairro Floresta, o olhar atravessa o Centro e só para na Serra do Curral. Como sugere o… continue lendo ->

23 Março — amor + gastronomia

Bolo gelado de coco e o resgate do afeto

por

Ainda que na França a sopa de cebola seja um dos pratos mais tradicionais, lá em casa o bolo gelado de coco, preparado por toda uma vida… continue lendo ->

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se

Vão te interessar

6 Março — arquitetura + cidades

Rua Célio de Castro, Floresta: detalhes de memórias

por

Da varanda da casa da Rua Célio de Castro, no bairro Floresta, o olhar atravessa o Centro e só para na Serra do Curral. Como sugere o desgastado ladrilho sob os pés, suspeita-se que infinitas histórias já foram vividas ali — e a partir… continue lendo ->

23 Março — amor + gastronomia

Bolo gelado de coco e o resgate do afeto

por

Ainda que na França a sopa de cebola seja um dos pratos mais tradicionais, lá em casa o bolo gelado de coco, preparado por toda uma vida pela minha mãe, simboliza, aqui, o resgate do afeto que celebramos… continue lendo ->

11 Abril — design + trabalho

O ponto cego da liderança

por

Na abordagem da Teoria U, método para transformar sistemas desenvolvido por pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT), os acontecimentos que enxergamos revelam apenas a ponta de icebergs. Por baixo da superfície, existem estruturas, paradigmas de… continue lendo ->

20 Abril — amor + gastronomia

Bolo de castanha e a contramão do minimalismo na construção do lar

por

Enquanto uma casa meramente prática não abriga recordações e não dá teto para o movimento autobiográfico, o projeto de um ambiente mais inclusivo encontra o belo no simples e, consequentemente, coloca o lar no lugar do aconchego. A receita do bolo de castanha-de-caju foi… continue lendo ->

Saiba antes de todo mundo sobre novos artigos, cursos e mais: assine nossa newsletter semanal—é grátis!

×