Protótipo: 7 perguntas para testar sua ideia do jeito certo

 

Receba artigos sobre sem categoria semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Se você já ouviu falar sobre design thinking, startups e inovação, certamente também já ouviu falar sobre protótipo. O protótipo é um modelo tangível de uma ideia, cujo objetivo é apresentar os benefícios que sua proposta oferece e entender como as pessoas interagem com ela. É o quinto momento do design thinking, depois das fases Entendimento, Empatia, Ponto de Vista e Ideação.

A Prototipação e a Iteração são momentos que estabelecem um ciclo entre si: a cada protótipo são feitas iterações – ou aprimoramentos – incorporados ao novo modelo, até que se tenha o melhor formato de um projeto, dados limitadores como recursos financeiros e tempo.

E o MVP? O MVP ou produto mínimo viável é um protótipo mais robusto, que visa testar um modelo de negócio com o público-alvo. A Ana escreveu sobre MVP aqui.

No filme Fome de Poder, temos um exemplo maravilhoso de prototipação: os fundadores do Mc Donald’s testaram várias formas de dispor as áreas de trabalho da cozinha. A intenção era encontrar a melhor configuração para reduzir o tempo de produção dos sanduíches:

Por que se fala tanto em prototipar? Porque depois de formular uma ação, serviço, ambiente ou produto, é crucial testar. Esse é o momento, de, usando poucos recursos, submetermos nossa ideia ao uso pelos potenciais usuários e coletarmos feedbacks.

É uma oportunidade única de aprender com as pessoas para quem projetamos, e, a partir do que elas têm a nos dizer, gerar real valor ou abortar um projeto. Imagine se, ao invés de desenhar a configuração da cozinha em uma quadra, os fundadores do Mc Donald’s construíssem uma cozinha inteira para testar a melhor organização do espaço?

Aí temos um ponto importante: a maturidade da ideia. Para prototipar, precisamos de uma ideia bem definida conceitualmente, de forma que possamos concretizá-la de alguma forma. Mas não tão estruturada a ponto de nos bloquear as oportunidades de aprimoramento e mudança.

Qualquer ideia pode ser prototipada: um objeto, um app, um serviço, um ambiente. O desafio é entender o quê na ideia deve ser prototipado. E como fazê-lo.

Como fazer um protótipo?

Usando como referência o curso Prototyping, da IDEO.org e + Acumen, seguem 7 perguntas a serem respondidas para planejar seu protótipo:

  1. Qual a essência da minha ideia?
  2. O que preciso aprender com esse teste?
  3. Como posso executá-lo? Como posso apresentar a essência da minha ideia a alguém?
  4. Para quem é este protótipo?
  5. De quê preciso para executá-lo? (materiais, local, pessoas)?
  6. Qual o melhor momento para realizar o teste?
  7. Quais ferramentas posso precisar durante o teste?
  8. E se os fundadores do Mc Donald’s tivessem respondido às perguntas acima?

Qual a essência da minha ideia?
R: Organizar a cozinha de forma a reduzir o tempo de espera dos clientes.
O que preciso aprender com esse teste?
R: Qual a melhor disposição das áreas de trabalho da cozinha para reduzir o tempo de preparo dos sanduíches.

Como posso executá-lo? Como posso apresentar a essência da minha ideia a alguém?
R: Simulando a cozinha e as áreas de trabalho em uma quadra.

Para quem é este protótipo?
R: Para os funcionários.

De quê preciso para executá-lo? (materiais para construir um modelo físico, local, pessoas)?
R: Medidas da cozinha, medidas das áreas de trabalho, descrição do processo de preparo dos sanduíches, giz, escada, cronômetro, funcionários da cozinha…

Qual o melhor momento para realizar o teste?
R: Um momento em que consigamos reunir toda a equipe da cozinha e a quadra esteja disponível.

Quais ferramentas posso precisar durante o teste?
R: Giz, escada, cronômetro, papel, prancheta, caneta…
Essas 7 perguntas se aplicam à maioria dos protótipos, sejam produtos, serviços, ambientes ou aplicativos. Alguns protótipos demandam um pouco mais de detalhe e/ou ferramentas específicas. Vamos falar mais a respeito nos próximos posts.

Coletando feedbacks

Lembrando que o protótipo é um aprendizado, como extrair o máximo dessa experiência?

No curso Prototyping, são propostas algumas questões, que auxiliam na coleta e no registro de feedback. As respostas a essas perguntas ajudam a melhorar o protótipo e a agregar novos elementos ao próximo teste:

O que funcionou no protótipo?
O que não funcionou?
Que perguntas foram feitas durante o teste?
Que novas inspirações surgiram?
Existem muitas ferramentas e exemplos de protótipo. Contudo, cada projeto tem suas especificidades. Neste post apresentamos alguns pontos a respeito dos quais precisamos refletir antes de sair por aí programando um app, por exemplo. (Até porque, é perfeitamente possível prototipar um app com papel, cartolina e caneta. Ou, digitalmente mesmo, sem escrever uma linha de programação).

Para saber mais:

Service Design Tools – Testing and prototyping
6 tips for how do prototype a service (em inglês)
5 tipos de protótipos para montar um MVP e otimizar investimentos

Para unir o útil ao agradável:

Joy – o nome do sucesso (2015)
Fome de poder (2016)

Autor
Sou Designer de Produto com uma leve tendência para o Gerenciamento de Projetos. Trabalho como designthinker pela Jojo Pagy — Design de Serviços, desenvolvendo o trabalho de Community Builder na Bossa Nova Investimentos. Nessa vibe de inovação, desenhei com uma amiga o Canvas ICCI, uma jornada para ajudar empreendedores a concretizar ideias inovadoras. Eventualmente, escrevo para O Zepelim (ozepelim.com.br), um blog coletivo sobre inovação e empreendedorismo. Me realizo compartilhando conhecimento, aprendendo com as pessoas e contribuindo para que projetos sonhos saiam do papel.

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se