Ora abóboras: no caldo e no pão de “beijo”

 

Receba artigos sobre comida semanalmente em sua caixa de entrada!

×

Seja abóbora ou jerimum, acredita-se que a abóbora seja nativa das Américas, especialmente México e Sul dos Estados Unidos, em razão da temperatura. Teria feito parte da alimentação das civilizações Maia, Asteca e Inca. No Brasil, acredita-se que era cultivada pelos povos indígenas antes mesmo da colonização. Com anos e anos de história, são muitas as receitas com o fruto da aboboreira, incluindo duas veganas que experimentei e compartilho com vocês: caldo e pão de “beijo”.

Creme de abóbora

Corte uma abóbora pequena em cubos. Não há necessidade de tirar a casca! Retire as sementes e reserve.

Coloque para cozinhar com água suficiente para cobrir numa panela. Se preferir, pode usar uma panela de pressão. Adicione 2 pitadas de sal para que o tempero já seja incorporado.

Aproveitando as sementes da abóbora

Enquanto a abóbora cozinha, lave as sementes para tirar todo o resquício da abóbora que fica grudada. Seque e leve à frigideira em fogo brando com uma pitada de sal para deixar as sementes bem crocantes. Reserve.

Finalizando o creme de abóbora com o leite de coco fresco

Quando a abóbora estiver amolecida, escorre a água, transfira para um liquidificador e bata com uma boa quantidade do leite de coco. Experimente ir colocando aos poucos, para chegar à consistência que você deseja. Eu prefiro um creme bem espesso, então uso bastante leite.

Se precisar, acrescente mais um tiquinho de sal. Como eu amo colocar pimenta do reino moída na hora em tudo, adiciono também.

Sirva imediatamente com as sementes por cima!

Como fazer leite de coco fresco?

Foto: Lorena Dini

O leite de coco fresco é muito diferente dos leites comprados no supermercado, que levam ingredientes que muitos sequer sabem dizer o que são.

Compre um coco seco (aquele marrom com fiapos) e ache, dentre os 3 buraquinhos, o mais macio.

Fure com a ajuda de uma faca, tire a água (você pode tomar) e leve o coco ao forno até rachar.

Esse processo demora cerca de 20 minutos e serve para tirar a casca facilmente. Se ainda assim tiver difícil, use um martelo para ajudar.

Caso você queria, experimente pedir aquela ajudinha no mercadinho onde for comprar o coco para levar pra casa com a casca já quebrada, pois muitos lugares fazem essa gentileza. Quanto menor a vendinha, mais aproximação =)

Corte o coco em pedaços grandes e bata com 700ml de água. Coe para retirar as fibras (se tiver voal em casa, melhor ainda) e está pronto.

Guarde na geladeira. Costuma durar cerca de 4 dias.

Pão de “Beijo” sabor abóbora

Por ser mineira, tenho loucura por pão de queijo. Mas como a lactose não faz bem e tenho tentado diminuir o consumo de queijo no meu dia a dia, ganhei da amiga Bruna Ferreira essa receita simples e nutritiva de pão de beijo feito com abóbora. Ele é saudável e cheio de sabor, lembrando de fato a textura do pão de queijo! Se você fizer bolinhas maiores, dá inclusive para rechear a gosto.

Ingredientes

  • 1 xícara de abóbora cozida e amassada (se preferir, cozinhe com a casca e tudo!);
  • 3 colheres (de sopa) de polvilho doce;
  • 1 colheres (de sopa) de polvilho azedo;
  • 1 colher (sopa) de sal rosa ou marinho;
  • 4 colheres (sopa) cheias de azeite;
  • 1 colher (chá) de orégano;
  • Pimenta do reino moída a gosto;
  • 1 colher (chá) de açafrão da terra (cúrcuma)

Modo de fazer

Misture os ingredientes secos primeiro.

Em seguida, acrescente o azeite.

Adicione a abóbora e vá misturando com as mãos até que a massa solte da vasilha. O ponto ideal é quando a massa não está nem muito pegajosa, nem muito esfarelada.

Faça bolinhas e asse num forno pré-aquecido à 180º e deixe por 20 minutos ou até dourar.

Pode ser congelado também!

Autor
Alou, aqui quem fala é a Carol Dini! Comecei a cozinhar por um acaso e descobri em razão disso um mundo inteiro de novas possibilidades. O que mais me fascina quando estou com a barriga no fogão são os ensinamentos que essa experiência, somada à boa mesa, traz sobre viver a vida. Digo aos amigos que cozinha é lugar pra dançar, tirar folga dos problemas, despir os preconceitos, adorar o novo, apreciar os detalhes, fazer do simples algo especial, afinar o paladar, testar nossos limites, inovar, meditar sobre o correr dos dias, associar olfatos, entender o corpo, reconectar com o universo, fazer da pimenta e dos problemas ardidos algo agridoce, fartar com novos cheiros, misturar sabores e brincar com as papilas gustativas. E do que mais a vida não é feita senão disso? Corte uma Cebola, puxe ela na Manteiga e sigamos juntinhos. =) Ah, se você quiser dicas culinárias, me encontre no instagram: @carolinandini

Share the love.

Se este artigo te fez lembrar de alguém, mostra pra elx!

Para comentar você deve ter uma conta—só leva um minuto:

fazer login ou registrar-se
Você vai gostar

Aprenda lettering agora

Com apostila grátis! BAIXAR AGORA